PUBLICIDADE


Luciano Ayan participa de seminário sobre Fake News na Câmara

O profissional de tecnologia Carlos Augusto de Moraes Afonso veio a público em encontro promovido na Câmara dos Deputados para criticar as agências de fact-checking

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução / Youtube)

As Comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara realizaram um seminário nesta terça-feira (22) sobre a proteção de dados pessoais e as Fake News. O dono do site Ceticismo Político, Luciano Ayan (pseudônimo mais notório do profissional de tecnologia Carlos Augusto de Moraes Afonso), marcou presença e fez uma explanação de cerca de dez minutos sobre a iniciativa Internet Livre e o combate ao viés das agências de fact-checking.

É a primeira vez em que Luciano Ayan aparece em público para uma apresentação presencial. Ele abordou o desenvolvimento da iniciativa, reunindo “pessoas de centro e direita” que começaram a suspeitar da iniciativa do Facebook de construir uma parceria com agências como “Lupa” e “Aos Fatos”, alegadamente para supervisionar a proliferação de notícias falsas. Ele demonstrou o resultado de suas pesquisas, identificando que o perfil ideológico dos checadores já influencia no resultado das checagens.

Confira na íntegra:


PUBLICIDADE



★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.