fbpx
PUBLICIDADE

Analista político Luciano Ayan revela real identidade após polêmica

Escritor havia sido atacado por utilizar um pseudônimo em vez de seu nome real e por escrever artigo que, supostamente, seria 'disseminador' de notícias falsas; Luciano Ayan, ou Carlos, nega as acusações
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Um dos mais influentes analistas políticos do ecossistema pró-liberdade, Luciano Ayan decidiu revelar sua real identidade: Carlos Augusto de Moraes Afonso. Em nota oficial publicada no site Ceticismo Político, Carlos afirmou que utilizava um pseudônimo pois tinha a intenção apenas de “desenvolver um método” de atuação política, mas não em transformar essa em sua atividade profissional principal, que é a tecnologia. Em 2016, ele chegou a escrever um livro editado pela Editora Simonsen assinando com o pseudônimo.

No site, ele explicou que decidiu revelar a identidade porque a “mídia pró-PSOL” noticiava seu pseudônimo como “perfil falso” utilizado como instrumento para criar fake news, o que negou novamente. “Bem, agora estou aqui pronto para qualquer debate para que alguém me demonstre que há qualquer fake news no texto questionado pelo Globo”, desafiou. [1]

Ayan, ou Carlos, também voltou a explicar que a expressão “quebra de narrativa”, utilizado no polêmico artigo que viralizou, não endossa as falsas afirmações atribuídas à desembargadora que associou a vereadora Marielle Franco ao crime organizado. “Qualquer definição do dicionário mostra que falar em narrativas não é o mesmo que falar em provas. É preciso fingir muito para fazer o teatrinho de que ali havia uma notícia falsa”, disse.





“Em resumo, usam o fato de alguém estar sob pseudônimo (o que dificulta a defesa quanto às acusações), para avançarem mentiras. Bem, agora mentem diante de alguém que pode ser contatado por qualquer meio. Se enviarem um email para [email protected] receberão a resposta do dono do pseudônimo, Carlos Augusto de Moraes Afonso, ou seja, eu”, disse. Leia na íntegra o depoimento de Luciano Ayan no site Ceticismo Político.

Neste sábado (24), o Facebook derrubou o perfil e a página de Luciano Ayan, bem como a página utilizada até então pelo site Ceticismo Político. De acordo com o UOL, a rede social teria afirmado que os “padrões da comunidade não permitem perfis falsos”, bem como “páginas administradas por perfis falsos”. [2]

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama