fbpx
PUBLICIDADE


RJ: Ativista em segurança, Roberto Motta já definiu por qual partido concorrerá

Uma das principais lideranças até 2016 do Partido Novo, e hoje ligado ao Brasil 200 e ao MBL, engenheiro tem se dedicado ao tema da segurança pública e quer concorrer à Câmara para pôr fim à impunidade

- Publicado no dia
(Foto: Gabriel Menegale/Boletim da Liberdade)

O ativista em segurança pública Roberto Motta, entrevistado pelo Boletim da Liberdade em janeiro, filiou-se na última semana ao PSC. Motta pretende disputar uma vaga na Câmara dos Deputados pelo Rio de Janeiro e deve ser um dos candidatos apoiados pelo Movimento Brasil Livre no estado.

Engenheiro de formação, possui mestrado pela FGV e, ao longo dos últimos anos, tem se dedicado a participar ativamente de diversos projetos relacionados à atividade política e à segurança pública. No campo político, destaca-se o fato de ter sido um dos fundadores do Partido Novo, do qual foi uma das principais lideranças até 2016, e dos movimentos Brasil 200, Livres e MBL.


PUBLICIDADE



Já no campo da segurança pública, Motta tem atuado especialmente por meio dos movimentos Brasil Seguro e Tolerância Zero, além de investido no diálogo com diversos interlocutores da área. Segundo ele, busca ser um porta-voz da “maioria silenciosa que é duplamente vítima”: primeiramente, do crime e, depois, do que chama de “ideologia que defende o criminoso”.

Se eleito, Motta adiantou que pretende ter uma atuação focada em acabar com a impunidade no país. Isso passaria por três linhas de atuação: reestruturação das polícias, retomada do controle dos presídios e a reforma das leis penais.

Nessa área, dentre as medidas que defende, estão o aumento do tempo máximo de cumprimento de pena (de 30 para 50 anos), fim do regime semiaberto e dos indultos, a partir do terceiro homicídio o estabelecimento de pena mínima para 40 anos e a facilitação do porte de arma para o cidadão.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.



Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.