SOBRE     ASSINE     NEWSLETTER     FACEBOOK     TWITTER     YOUTUBE



Paulo Gontijo, presidente do Livres, explica razões de sua entrada no PPS

Em entrevista ao Boletim da Liberdade, presidente nacional do Livres adiantou com quem deve dobrar no Rio de Janeiro nas eleições e a postura do movimento na eleição presidencial

- Publicado no dia
Paulo Gontijo é empresário e também um dos bolsistas do programa “RenovaBR” (Foto: Divulgação)

O empresário e radialista Paulo Gontijo, presidente nacional do movimento Livres e ex-presidente do diretório estadual do PSL/RJ antes da entrada de Jair Bolsonaro, anunciou nesta segunda-feira (26) seu novo destino político: o PPS, legenda presidida pelo deputado federal Roberto Freire, entrevistado pelo Boletim em janeiro.

Em conversa com o Boletim da Liberdade, Gontijo explicou o porque da escolha pela legenda em detrimento ao NOVO, de maior afinidade ideológica, e adiantou que será candidato a deputado estadual no Rio de Janeiro, dobrando com o ex-ministro Marcelo Calero que deve disputar uma cadeira de deputado federal. [1]


PUBLICIDADE



Boletim da Liberdade: A mudança para o PPS é ato individual ou será uma mudança em bloco de todo o Livres/RJ? Outros regiões do Livres também devem aderir à legenda?

Paulo Gontijo: É um ato individual, mas seguiram o mesmo caminho Marcelo Calero, no Rio de Janeiro, e Humberto Laudares, em São Paulo. E já tínhamos integrantes filiados ao NOVO também, como Fabio Ostermann, no Rio Grande do Sul. Adotamos uma estratégia suprapartidária para 2018. Teremos candidaturas em partidos mais alinhados conosco e que permitam a defesa das ideias do Livres com independência. Até o prazo eleitoral, os demais integrantes do movimento vão decidir que caminho seguir e terão outros partidos nesse roll.

Boletim da Liberdade: O que pesou na decisão para que o PPS fosse escolhido em vez de outros partidos ideologicamente mais afinados com as ideias da liberdade, como o NOVO?

Paulo Gontijo: Foram vários os motivos. O PPS tem um histórico de orientação liberal de bancada. É um partido que está disposto a mudar, trazendo movimentos de renovação política para dentro. É bem democrático internamente, portanto, terei autonomia. E é um partido com posições firmes. Saiu da base do PT na hora certa, votou a favor da Reforma Trabalhista e é a favor da Reforma da Previdência.

O PPS é um partido que está disposto a mudar, trazendo movimentos de renovação política para dentro. É bem democrático internamente, portanto, terei autonomia. E é um partido com posições firmes.

Boletim da Liberdade: No PPS, quantos candidatos o Livres-RJ deve lançar?

Paulo Gontijo: Por enquanto, eu e o Marcelo Calero.

Boletim da Liberdade: Você disputará algum cargo?

Paulo Gontijo: Serei candidato a deputado estadual e Calero, a federal.

Boletim da Liberdade: Além do PPS e do NOVO, quais outros partidos membros integrantes do Livres já se moveram?

Paulo Gontijo: Augusto Pellucio, de Rondônia, também já se filiou ao Podemos. Os demais integrantes devem tomar suas decisões e anunciá-las até o prazo eleitoral que se aproxima.

Boletim da Liberdade: O Livres apoiará algum candidato de maneira unificada no primeiro turno para a eleição presidencial?

Paulo Gontijo: Ainda não decidimos, até porque o cenário para Presidência é ainda incerto. Não necessariamente apoiaremos alguém, mas qualquer possível apoio será decidido levando em consideração o maior alinhamento com nossos valores e propostas para o país.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também