PUBLICIDADE


NOVO já tem a preferência de 1% do eleitorado, diz pesquisa Ibope

Com isso, legenda que lançará João Amoêdo à presidência da república e tem menos de dois anos de existência se iguala a partidos históricos como o PDT, PSB, PSC e DEM; NOVO tem agenda liberal e traz inovações

- Publicado no dia
Primeira candidata a um cargo executivo, Carmen Migueles e os candidatos a vereador do Rio foram à orla de Ipanema, juntos, fazerem campanha no dia que o partido comemorava 1 ano de registro no TSE. (Foto: Reprodução / Facebook)

Oficializado no segundo semestre de 2015, o Partido Novo já tem 1% de preferência ou simpatia no eleitorado brasileiro de acordo com pesquisa Ibope encomendada pelo CNI Brasil. Com isso, a legenda fundada pelo engenheiro João Amoêdo junta-se ao pelotão de frente de partidos que, institucionalmente, têm alguma simpatia da população.

De acordo com a pesquisa, divulgada na última terça-feira (13), o PT segue líder na preferência popular por organização partidária, com 19% do percentual de respostas. Em seguida, vem o MDB, com 7%, o PSDB, com 6%, e o PSOL, com 2%. O pelotão com 1% é composto por DEM, PC do B, PDT, PR, PPS, PSB, PSC, PSD, PTB, PV e NOVO.


PUBLICIDADE



Ao todo, do universo de 35 partidos, apenas 15 partidos tem 1% ou mais de preferência. Na amostra, 48% dos entrevistados afirmaram não ter nenhum partido de preferência e 5% não responderam.

No Facebook, o NOVO é o partido com mais curtidas, ultrapassando o número de 1,6 milhão, e também um dos de mais alto engajamento. A legenda também é a única do país que tem, por princípio, não utilizar verbas públicas e se manter apenas com mensalidades de filiados. Em 2018, o partido lançará João Amoêdo candidato à presidência da república, entrevistado pelo Boletim da Liberdade em janeiro.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Leia também:  A polêmica do auxílio-moradia e outros projetos: Boletim conversa com o deputado Alexis Fonteyne, do NOVO
Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.