fbpx
PUBLICIDADE


Senado também aprova intervenção na segurança pública do Rio

Decisão por 55 votos favoráveis a 13 contrários garante validade da decisão do presidente da República até o próximo dia 31 de dezembro

- Publicado no dia


PUBLICIDADE



(Foto: Reprodução / Senado Federal)

O Boletim acompanhou a sessão da Câmara dos Deputados que, depois de sete horas de duração, aprovou, na madrugada desta terça-feira (20), o decreto de intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. Faltava a aprovação do Senado Federal – e não tardou: pouco antes da meia-noite, em sessão iniciada por volta das 21h, foi dada a sanção à medida por um placar de 55 votos favoráveis a 13 contrários. [1]

O relatório foi elaborado pelo senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), que apoiou a intervenção. Ao contrário da Câmara, em que mais parlamentares se manifestaram, foram escalados cinco senadores para sustentar a intervenção e outros cinco para questioná-la. Com o quórum atingido e ampla maioria, agora a decisão de Temer poderá tranquilamente ser mantida até o fim do ano.

Mais uma vez, apoiadores da intervenção, como Marta Suplicy (MDB-SP), sustentaram que não há qualquer intenção de agredir os pobres e as favelas, mas sim de ajudá-los. Já os opositores, como a petista Gleisi Hoffmann (PR), continuaram apontando o que consideram um espetáculo de “pirotecnia” e contestando a adequação das Forças Armadas ao trabalho.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.



Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.