fbpx
PUBLICIDADE


Jair Bolsonaro diz que intervenção de Temer no Rio ‘é piada’

Deputado e presidenciável acredita que a atitude do presidente da República visa apenas melhorar sua popularidade e não equacionará a situação no Rio

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução / Jornal do Commercio)

Ao contrário do que alguns poderiam esperar, o deputado federal e presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ) não aprovou a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro decretada pelo governo Temer, que colocou o general de quatro estrelas Braga Netto no comando da área. Para ele, a decisão é política e não passa de “uma piada”.

“É um decreto político por parte do presidente Temer, que usa as Forças Armadas em causa própria”, disse o parlamentar nesta sexta-feira (16). “A verdadeira intervenção tem que começar no governo Temer. E tirar a bandidagem que está do lado dele. Deviam sair todos de lá e descer para comer feijão com arroz. Uma intervenção desse tipo sem uma causa de excludente de ilicitude (estado de necessidade) é piada”, ele disse à Gazeta do Povo. [1]


PUBLICIDADE



Já em entrevista ao site O Antagonista, Bolsonaro comentou que a ausência do excludente de ilicitude torna a tarefa complexa para os militares. “No Haiti, você podia atirar. Aqui como vai ser?”. Definiu: “É uma intervenção decidida dentro de um gabinete, sem discussão com as Forças Armadas. Nosso lado não está satisfeito. Estamos aqui para servir à pátria, não para servir esse bando de vagabundos”. [2]

O excludente de ilicitude desejado por Bolsonaro permite dispensar o caráter ilícito de certas atitudes da repressão armada enquanto durar a intervenção. Ele na verdade já está previsto pelo artigo 23 do Código Penal em casos de legítima defesa, estrito cumprimento de dever legal ou no exercício regular de direito e o estado de necessidade. Este último estado se verifica quando se considera que a deterioração ou destruição da coisa alheia ou lesão à pessoa é fundamental para remover perigo iminente.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.



Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.