fbpx
PUBLICIDADE


Redução de danos: página dá orientações sobre consumo de cocaína e é atacada

Iniciativa chamada ‘Drogas: Reduzir Danos’ visa dar orientação para o consumo mais seguro de diversas drogas, como o álcool e a cocaína; parte dos internautas, porém, não gostou do tom utilizado no discurso

- Publicado no dia
Foto: Reprodução/Facebook

Drogas ainda são um assunto polêmico entre os brasileiros. Prova disso é a reação dos internautas diante de uma publicação feita pelo página “Drogas: Reduzir Danos” na última quinta-feira (8).

Na imagem divulgada, a página, em vez de recriminar, orienta que os consumidores de cocaína evitem utilizar notas de dinheiro como canudo e compartilhar com amigos o material usado para aspirar o pó. No texto que acompanha a imagem, é observado que a “maior parte da cocaína no Brasil é adulterada ou misturada com outras substâncias, podendo trazer sérios riscos à saúde” e que, “mesmo [após o consumo de] quantidades pequenas”, é melhor evitar dirigir.

Reações

Surpresos com as informações, que visam orientar o usuário de cocaína, muitos internautas utilizaram a publicação como forma de ironia ou humor. Houve, no entanto, quem criticasse o teor da publicação com seriedade. “A campanha fala como se fosse uma coisa normal cheirar cocaína. Ao invés de lembrar das bactérias, seria bom relembrar que a cocaína causa danos irreversíveis ao coração, às vias aéreas e problemas psíquicos. Deveria também recomendar sempre a procurar auxílio à desintoxicação e dar telefones, nomes de entidades etc”, escreveu um internauta.


PUBLICIDADE



Outra internauta também criticou a campanha: “A pessoa está inalando todo o tipo de veneno, usa uma droga que tem qualidade péssima no Brasil, está ‘loucassa’ da cabeça, doida pra aloprar, e vai se preocupar com as bactérias da nota de dinheiro? Esse pessoal não tem o que inventar para parecer alternativo, diferentão”, comentou.

A página, porém, se defende, salientando que “a Redução de Danos (RD) é uma prática reconhecida pela Organização Mundial de Saúde”. “No caso do uso de drogas, a RD parte da premissa de que as pessoas usam drogas e oferece dicas concretas – como essa que está na imagem –, além de informações e alertas sobre os possíveis efeitos específicos de cada droga no corpo. A redução de danos considera que um indivíduo bem informado pode ter maior autonomia e ser mais responsável no consumo de substâncias, minimizando os impactos para si mesmo e para terceiros”, escreveu.

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.