fbpx
PUBLICIDADE

Líder do MBL, Renan Santos, se manifesta sobre rompimento com Doria

Liderança do movimento comentou que o prefeito de São Paulo tem um saldo positivo em seu governo, mas não conta com o apoio para ser presidenciável
Renan Santos (Foto: Reprodução / Facebook)
Renan Santos (Foto: Reprodução / Facebook)
PUBLICIDADE

Renan Santos, notória liderança do Movimento Brasil Livre, decidiu se manifestar nesta segunda (22) diante da tensão entre o movimento e o prefeito de São Paulo, João Doria, a quem inicialmente apoiava. Para ele, o que vem acontecendo em razão das novas regras para aplicativos de transporte impostas pela Prefeitura é apenas “a gota d’água de um processo de desencanto que vem acontecendo desde abril do ano passado”. [1]

PUBLICIDADE

Para Renan, tudo começou quando Doria fez “declarações estabanadas” sobre “desarmamento e banheiro trans”, embora o MBL mantivesse a expectativa de que ele mudasse de atitude. A irritação continuou com o caso da defesa da taxação do Netflix, o discurso de “centro”, o que Renan chama de “uma postura dúbia na questão Uber – ainda no fim de 2017”, “uma postura absolutamente leniente no humilhante viaduto Marisa Letícia e essa parceria com os sindicatos de taxistas no caso da Resolução 16”.

Leia também:  Manifestação pelo impeachment reúne milhares, mas não supera dia 7

PUBLICIDADE

Para ele, Doria “não compreendeu os fundamentos históricos e políticos” que o conduziram ao poder. “Considera que com jogo de cena e discursos marqueteiros irá convencer todo mundo a apoiar suas incoerências”, o que não funcionaria mais “hoje em dia”. Ainda assim, Renan considera que o saldo do governo Doria é positivo e ele foi mesmo a melhor opção no pleito de 2016 à prefeitura de São Paulo. As privatizações, a zeladoria urbana nas regiões centrais, “seu enfrentamento ao politicamente correto e a setores da imprensa no começo de seu mandato”  foram elementos muito positivos.

“Não é, porém, um líder político capaz de comandar o país nem de representar nossas ideias. O que fez no caso dos aplicativos de transporte foi cruzar uma linha sem retorno. Não merece apoio institucional como figura que lidera uma mudança de mentalidade na gestão pública, como parecia ser. Se tudo der certo, será um Kassab melhorado”, concluiu.

Leia também:  Doria surpreende ao revelar qual estatal privatizaria se fosse presidente

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

Podcast

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?