Consulta popular pela independência do Sul tem imprevistos, mas maioria aprova

De acordo com resultados preliminares, mais de 95% dos votos foram favoráveis à secessão da região Sul do resto do Brasil; ao todo, mais de 300 mil pessoas participaram da votação segundo resultados preliminares

- Publicado no dia
Foto: Reprodução/Facebook

O Movimento “O Sul é o Meu País” realizou durante esse sábado (7) uma grande consulta popular nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul a respeito da possibilidade de independência da região do resto do Brasil. De acordo com resultados preliminares, com 63,69% das urnas apuradas, cerca de 96,05% dos votos foram favoráveis à secessão.

Ao todo, até o momento, foram computados mais de 300 mil votos. O diretor de mobilização estratégica do movimento, Celso Deucher, porém, em transmissão ao vivo na tarde deste domingo (8), afirmou que o resultado foi abaixo da meta, que ultrapassaria o milhão de votos. “Sacrificamos o Plebisul para favorecer o projeto de lei de iniciativa popular. Porque o Plebisul, no ano passado, apenas se votava, depois ía-se embora e não se assinava nada. Nesse ano, aconteceu a revolução. Quando a pessoa foi votar, tinha lá um documento oficial que a própria legislação brasileira pede para que ele assine o projeto de lei de iniciativa popular para um plebiscito consultivo oficial.”


PUBLICIDADE


Muitas pessoas se manifestaram ao longo do sábado sobre locais de votação que não se abriram. Carolina Maioli, no Facebook, escreveu que a sessão que votaria, em Curitiba, fechou antes do horário, inviabilizando sua participação. “Fico imaginando quantos votos se perderam por essa falta de pontualidade”, comentou na página oficial do movimento. Deucher afirmou que foram cerca de 35% das urnas comprometidas.

“Isso representa um desfalque muito grande dentro da causa. Quem eram essas pessoas? A maioria eram pessoas que estavam há pouco tempo, que não tinham muito compromisso com a causa. Foi uma falha nossa. Aconteceu em todo lugar no sul”, lamentou. Por outro lado, no entanto, considerou o resultado da consulta positivo.  “Reconhecemos que foram menos votos, mas a qualidade [dos votos recebidos] jamais na história aconteceu. Porque 99% das pessoas que votaram assinaram o projeto de lei e isso é magnífico. Agora, nós já subimos um grande degrau”.

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também