Doria defende abertamente privatização da Petrobras e fusão da Caixa com o BB

Prefeito de São Paulo teria dado, de acordo com o jornal ‘Valor Econômico’, declarações que poderão agradar ao eleitorado liberal: desestatização, eficiência e fim dos cargos políticos em bancos

- Publicado no dia
Foto: Reprodução / Globo.com

Prefeito de São Paulo e possível candidato à presidência da república em 2018, João Doria (PSDB) deu declarações na tarde desta terça-feira (12) que dão um sinal positivo para o público liberal. De acordo com o jornal Valor Econômico, o tucano afirmou em um evento com empresários ser favorável a uma “privatização gradual” da Petrobras e a união do Banco do Brasil com a Caixa Econômica Federal, reduzindo a participação do governo no setor bancário.

Sobre a estatal de petróleo, centro do escândalo de desvio de dinheiro revelado pela Operação Lava Jato, Doria afirmou que foi “muito afetada pelo assalto do PT ao longo de 13 anos, mas é uma instituição de valor e pode gradualmente caminhar para sua privatização sem prejuízo funcional, humano ou estratégico para o Brasil”.


PUBLICIDADE


Quanto à fusão dos dois bancos, o prefeito de São Paulo questionou a razão de o estado ter duas instituições. Por uma questão de eficiência, Doria sugeriu que, a partir de um estudo técnico, poderia ser feita uma fusão entre o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, salientando também que deveriam acabar as indicações políticas para cargos nessas empresas.

Em março, em entrevista à Arthur do Val, do canal “Mamãe Falei”, Jair Bolsonaro – outro pré-candidato à presidência da república em 2018 – também tocou no tema da privatização da Petrobras. Ao contrário de Doria, porém, o parlamentar foi evasivo quanto à possibilidade de privatizá-la. Na ocasião, ele afirmou que não poderia “sair entregando” a empresa para a iniciativa privada.

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também