Alunos e professores do Ibmec/RJ abrem petição e conseguem vetar Bolsonaro

O parlamentar, aventado como presidenciável em 2018, tinha uma visita marcada à universidade para o dia 12 de maio, durante a Semana Jurídica; Ibmec é uma das universidades privadas mais caras do Rio de Janeiro

- Publicado no dia
Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução / Senso Incomum)
Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução / Senso Incomum)

O polêmico deputado Jair Bolsonaro (PSC/RJ), que se destaca nas recentes pesquisas de intenção de voto para a presidência da República e se apresenta como uma alternativa de direita para o país, encarou mais uma reação de pessoas que não desejam permitir que fale em evento para o qual foi convidado.

Desta vez, a movimentação foi na unidade do Ibmec Barra, localizada no Rio de Janeiro, cujo centro acadêmico de direito realizará em maio sua primeira Semana Jurídica. No evento programado para o dia 12 seria discutido o assunto da Segurança Pública. Para o encontro, foram convidados Carlos Osório (PSDB), Fernando Siqueira (PPL) e Jair Bolsonaro (PSC). Um grupo da unidade, porém, não ficou feliz com a presença desse último parlamentar na instituição e começou a se mobilizar.

Em abaixo-assinado iniciado no último dia 4 no site de petições Avaaz, “alunos, professores e funcionários” reivindicaram o cancelamento do convite. O link para assinatura foi compartilhado pelas redes sociais e somou mais de 300 assinaturas. O manifesto afirmava  que era preciso “mostrar repúdio” e conclamava os apoiadores se “movimentar para que esse convite seja cancelado e o Ibmec não seja palco para um facista (sic)!”.

Como reação, o Centro Acadêmico Heleno Fragoso, organizador do evento, decidiu finalmente cancelar a visita de Bolsonaro. Um comunicado afirmou que a intenção nunca foi defender ou enaltecer qualquer ideologia política, mas que por “motivos de força maior da Instituição Ibmec, a presença do deputado Jair Bolsonaro foi vetada e ele está impedido de comparecer à Unidade em nossa Semana Jurídica”, dando a entender que a decisão foi uma imposição da universidade, uma das mais caras do Rio de Janeiro. A agremiação também marcou para o mesmo dia um debate sobre liberdade de expressão e censura, mas não anunciou ainda quem serão os debatedores.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também