Em estado de observação - Tribuna - Boletim da Liberdade
PUBLICIDADE

Em estado de observação

26.03.2020 06:14

*Lucas Gonzalez

Em tempos de coronavírus, não é difícil traçar um paralelo entre a situação do Brasil e a condição daqueles que, de algum modo, padecem nos hospitais.

Para efeito didático, irei categorizar os pacientes em três grupos: os que precisam apenas de uma consulta, os que estão em observação e, por fim, aqueles que estão internados.

Com a brusca mudança de cenário sobre infectados, e as medidas de contenção do coronavírus, é possível dizer que o Brasil é um paciente que se encontra em estado de observação.


PUBLICIDADE


O surto do covid-19 expõe muitas das fragilidades há tanto tempo cravadas em nosso DNA, e nos coloca na condição de paciente. Estamos no limbo onde não se sabe se em breve teremos alta ou se precisaremos de mais cuidados.

Com as primeiras notícias do vírus no Brasil, alguns subestimaram a situação.

Com as primeiras notícias do vírus no Brasil, alguns subestimaram a situação. Não obstante as orientações de evitar aglomerações e intensificar os cuidados com a higienização, multidões preferiram ignorar o comando e optaram por usar a “quarentena” para festejar em bares, praias e praças.

A imprudência destes grupos pode ter causado uma estrondosa proliferação do vírus. Com a evolução dos casos, o medo de contrair a doença apareceu. Esta realidade trouxe maior cautela aos procedimentos de segurança.

Ainda assim, permanecia entre alguns uma espécie de desleixo ou descrença no potencial avassalador do coronavírus. Muitos, com quadro de suspeita, circularam pelas ruas, sem qualquer receio de transmitir a doença para outros indivíduos.

Foi este primeiro diagnóstico que nos conduziu ao estado de observação. Adoecemos por não saber respeitar os limites impostos por nossa própria fragilidade.

Durante o período de observação, a esperança voltou a brotar. A ignorância diante da magnitude do vírus foi dando espaço à solidariedade. Foi bonito assistir às inúmeras correntes de proteção aos idosos, de estímulo ao micro e pequeno empreendedor, através de compras online, e da importância de levarmos a sério o home office.

Este raio-x demonstra o protagonismo da sociedade na luta contra o coronavírus. A consciência de que juntos somos muito mais fortes me traz a convicção de que tão logo tenhamos alta, nosso atestado será de um povo resiliente que pode até se molhar na tempestade, mas que não se acovarda nos porões do barco. Sigamos. O Brasil é muito mais forte!

*Lucas Gonzalez é deputado federal (NOVO/MG)

Foto: Reprodução/Câmara dos Deputados


PUBLICIDADE