Os seis meses de Jair Bolsonaro - Octavio Sampaio - Boletim da Liberdade

Os seis meses de Jair Bolsonaro

04.07.2019 05:55

O Governo Bolsonaro acaba de completar seis meses. Como já era esperado, muitas críticas ocorrem por parte de “isentões” e setores da esquerda. Alguns dizem que Bolsonaro simplesmente não fez nada nos seis meses ou alegam que fez pouco. Será que essa é a verdade?

Não nos parece honesto dizer que Bolsonaro não fez nada. O presidente, independentemente de você concordar com ele ou não, vem trabalhando em cima de pautas que o elegeram. Diminuiu o número de ministérios de 39 para 22, gerando economia para os cofres públicos; também cortou, logo no início do mandato, 21 mil cargos comissionados, trazendo uma redução de gastos estimada em 195 milhões de reais ao ano. Na mesma direção, a ministra Damares vem buscando reduzir gastos, barrando também contratos abusivos e ideológicos, incluindo um contrato de 44 milhões de reais que serviria para criar criptomoeda indígena.

O presidente colocou em pauta a tão importante e fundamental reforma da Previdência, algo necessário para que o país não termine de se afundar em um buraco sem fundo. E devemos reconhecer que, embora encontre entraves no congresso, o governo vem trabalhando incansavelmente para conseguir a aprovação. Também devemos ressaltar que, mesmo com alguns tropeços, a pauta segue avançando.

Não nos parece honesto dizer que Bolsonaro não fez nada. O presidente, independentemente de você concordar com ele ou não, vem trabalhando em cima de pautas que o elegeram. 

Ainda no âmbito da economia, vale lembrar que Bolsonaro assinou o que foi chamado de MP da Liberdade Econômica, desburocratizando e facilitando em vários aspectos a vida do empresário, viabilizando crescimento econômico e geração de empregos. A medida também estimula o Brasileiro a empreender, tendo em vista a desburocratização que a MP traz.

Em uma aproximação com os EUA nunca vista no Brasil, Bolsonaro vem mantendo excelente aliança com Trump. Com isso, a tendência é que o mercado brasileiro se aqueça. Ainda nesse contexto, Bolsonaro assinou acordo que permite aos Estados Unidos lançar satélites da Base de Alcântara, inserindo o Brasil no bilionário mercado de lançamento de satélites. O Brasil, no momento, também é aliado extra-Otan dos EUA, o que amplia a parceria militar com o país norte-americano.

A aproximação e parceria com países desenvolvidos e dispostos a fazer negócios, sem amarras meramente ideológicas, é algo excelente para o futuro do Brasil. Bolsonaro parece estar no caminho certo e seguindo outra promessa de campanha: fazer negócios com o mundo inteiro, sempre que for benéfico para o nosso país.

Outra atitude de extrema importância foi a aprovação da MP 871, medida que visa ao combate a fraudes no INSS. O governo estima que, combatendo tais fraudes, o Brasil pode economizar cerca de R$10 bilhões anuais. Eu, sinceramente, acredito que a economia pode ser ainda maior, tendo em vista que o PT permaneceu muito tempo no poder e a sua capacidade de cometer crimes e fraudar é ilimitada.

Outra promessa de campanha cumprida por Bolsonaro foi em relação à mamata dos “artistas” revolucionários. O presidente diminuiu o teto da Lei Rouanet de R$60 milhões para R$1 milhão por projeto. A Lei Rouanet também passa a servir para mais pessoas e que realmente tenham bons projetos. Chega de dar dinheiro para “artista” progressista e milionário!

No âmbito da educação, Bolsonaro também vem cumprindo o que foi prometido. Começou a desaparelhar o MEC e segue retirando de pauta as propostas esquerdistas com mero viés ideológico. Se você não gosta do que vem sendo feito pelo MEC, não nos interessa, afinal o fato é que Bolsonaro foi eleito para fazer exatamente o que está fazendo.

Outra promessa de campanha cumprida é sobre as armas de fogo. Bolsonaro assinou decreto que flexibilizaria a compra e a posse de armas de fogo para cidadãos de bem, que cumprissem os requisitos legais. O decreto segue sofrendo ataques no congresso nacional, embora tenha enorme apoio popular. Se os políticos que estão contra o decreto, em algum momento, lembrarem que o poder emana do povo, vão permitir que tenhamos acesso à legítima defesa.

O ministro Sérgio Moro, seguindo a linha de combate ao crime organizado, inaugurou o Centro de Inteligência Nacional, estrutura que irá viabilizar maior celeridade e eficiência nas investigações, ao ampliar a troca de informações entre as polícias. Um golaço, tendo em vista que o Brasil se encontra nas mãos de narcoterroristas.

Ainda no âmbito de combate ao crime, Bolsonaro assinou Decreto autorizando a Polícia Rodoviária Federal a convocar mil novos concursados, algo fundamental para a patrulha de rodovias e estradas. Essa medida irá gerar um aumento significativo de apreensões e prisões relacionadas a contrabando e tráfico de drogas, reduzindo a criminalidade e a força das facções criminosas. Bolsonaro também autorizou a convocação de mil policiais federais, gerando maior estrutura para a Lava-Jato, tendo como consequência maior eficiência nas investigações de crimes de colarinho branco.

Não citamos todas as medidas do governo neste texto. No entanto, diante do que foi exposto aqui, podemos perceber claramente que Bolsonaro vem trabalhando bem em cima de suas promessas de campanha, mesmo com empecilhos criados por deputados e senadores da velha política e ainda que o STF atrapalhe o tempo inteiro. O fato é que, você querendo ou não, gostando ou não das atitudes de Bolsonaro, ele está cumprindo suas promessas de campanha e, portanto, honrando seu mandato.