Virei comunista - Laura Ferraz - Boletim da Liberdade
PUBLICIDADE

Virei comunista

17.05.2020 02:33

É isso mesmo que você leu. De ontem para hoje virei comunista. Assim, em um piscar de olhos. Você não havia percebido pelos meus posicionamentos anteriores? Que pena, pois é visível que os leitores foram desatentos e não notaram minha tendência esquerdista desde o início. Do que importa defender que o indivíduo tenha livre arbítrio, direito ao porte de armas, a não ser obrigado a agir conforme o que o Estado determina? Nada vale. Sou apenas uma liberal que flerta com as ideais de esquerda, afinal, discordei de alguns posicionamentos do arauto da sabedoria intelectual da direita desse país: o presidente.

Tenho percebido há algum tempo que o brasileiro se envolveu com política mais do que em qualquer momento. Se antes tínhamos uma esquerda burra (embora não haja esquerda inteligente at all) formada por pessoas que querem dividir o fruto do trabalho dos outros, a internet deu voz a outra espécie de polícia do pensamento à la Orwell, que gosta de usar caps lock e julgar o comportamento alheio. A nova “direita conservadora” brasileira é presunçosa, despreparada e arrogante. Edmund Burke, Roger Scruton, Ronald Reagan, Margaret Thatcher e Alexis de Tocqueville choram de forma descomunal ao perceber que seus legados foram resumidos ao descontrole emocional de pessoas que se apropriaram da alcunha “Conservador”.

Este artigo é um desabafo.


PUBLICIDADE


De onde veio tanta indignação? Bom, são fatos e tenho licença poética para criticar esse governo, pois como muitos brasileiros que não compactuam com os ideais coletivistas da esquerda, votei no segundo turno na EQUIPE do atual presidente. Comprei briga com “amigos”, familiares e pessoas queridas por ousar pensar diferente. É uma pena que o destino não tenha nos agraciado com um segundo turno entre João Amoêdo e Ciro impressora Gomes. Ambos os lados mereciam representantes melhores no páreo. Eis que, o único motivo a me ligar ideologicamente com Jair Bolsonaro foi rompido pelo mesmo ao ser chefe dos seus ministros, e não o líder da nação.

Ousei novamente, desta vez ao discordar. Perdi a outra parte dos falsos amigos que tinha, o que me leva a ver que o brasileiro não se interessou por política. Nosso povo gosta mesmo é das paixões, do extremismo e de presidentes paternalistas. Bolsonaro, assim como Lula, nunca foi um homem eloquente, articulado ou intelectualizado. No entanto, comungava da mesma ideia de diminuição do aparelho estatal e da burocracia, reformas política e tributária, etc.

Onde está a reforma política ao ir para a cama com o centrão? As interferências na Polícia Federal podem não ter sido confirmadas por Sérgio Moro, mas você é inocente a ponto de acreditar que o objetivo não era proteger Flavio?

Cadê a diminuição do aparelho estatal? Onde está a reforma política ao ir para a cama com o centrão? As interferências na Polícia Federal podem não ter sido confirmadas por Sérgio Moro, mas você é inocente a ponto de acreditar que o objetivo não era proteger Flavio? Qual é a diferença entre os petistas que endeusam Lula e negam seus crimes dos Bolsonaristas que confiam cegamente em um líder que não sabe falar, e só faz berrar durante entrevistas?

Não, eu não preferiria que Haddad fosse o presidente. O que o conservador/liberal de ocasião não nota é o quanto a esquerda cresce durante estes surtos de egocentrismo que o presidente dá. Se seu objetivo é defender uma agenda de direita, precisa amadurecer em seus estudos sobre o sistema filosófico que defende. Além disso, já deveria saber que não temos políticos de estimação ou passamos pano para pessoas, pois vislumbramos e seguimos ideais, sendo as pessoas o veículo de propagação dos pensamentos pró indivíduo.

O Coronavírus pode sim estar sendo utilizado pela mídia para atacar o governo e bem sabemos que algumas emissoras sentem-se prejudicadas ao perder parte da verba que garante seu monopólio. A questão é que, desta vez, não é preciso que qualquer jornal avise a ameaça invisível a que estamos expostos. A maior parte da população tem acesso à internet e já está ciente da gravidade do cenário. Também sabemos que medidas autoritárias estão sendo tomadas por governadores e ninguém denuncia isso. O que não justifica diminuir a situação e transformar todos que discordam em esquerdistas/comunistas/isentões.

Há 10 anos as pessoas que nos acusam nem sabiam o que era esquerda ou direita. Ao fracassar, Bolsonaro mancha o nome e as ideias defendidas por pessoas muito mais preparadas do que ele. Falta diálogo, humildade, temperança, senso de equipe e, principalmente, humanidade. A boa notícia, ao terminar este artigo, é que a Seleção Natural de Darwin não falhará. Quem sabe nossa espécie dê fruto a gerações mais inteligentes? Não seja um do rebanho a ser extinto.


PUBLICIDADE