A luta pelo Brasil - Debate Aberto - Boletim da Liberdade
PUBLICIDADE

A luta pelo Brasil

17.03.2020 02:25

KARIM MISKULIN*

O Brasil é um país preparado para enfrentar os desafios de uma economia global instável e incerta. Somos o país mais sólido da América Latina, temos instituições fortes e consolidadas, atacamos de maneira decisiva a corrupção e vivemos uma democracia plena em que todos têm vez e voz.

Mas este é um momento de grande instabilidade. Os efeitos do novo coronavírus exacerbou a complexidade do ambiente, o que demanda grande capacidade das lideranças brasileiras em suavizar a travessia e não criar ruídos desnecessários.

Os efeitos decorrentes da doença não podem ofuscar o fato de que o país fez uma reforma da previdência ampla, está discutindo mudanças profundas no sistema tributário, simplificou a burocracia econômica e fomentou o empreendedorismo. Precisamos seguir avançando para aprovar reformas que vão tornar nossa economia ainda mais forte. É o momento de valorizar as conquistas e de se unir para avançar em direção a um cresciemnto ainda maior do Brasil. Não só, é hora de manter o rumo correto da história, com um ambiente mais transparente e com a política mais afinada aos anseios da população.


PUBLICIDADE


Todos temos de ter em mente que o Brasil precisa da racionalidade irrestrita de seus líderes. O governo federal tem um time de primeira linha e capacitado para garantir que os efeitos da crise mundial sejam menores aqui. Temos credibilidade para atrair investimentos e aumentar nossa competitividade no mundo.

Com a liderança do ministro Sergio Moro, tivemos a maior operação de combate à corrupção do mundo. A violência está sendo enfrentada de maneira decisiva e sem medir esforços. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, terá papel importantíssimo na abertura de mercados e no impulso aos exportadores. Sob o comando do ministro Paulo Guedes, temos uma das mais qualificadas equipes econômicas do hemisfério sul. E no Congresso, liderado pelo deputado Rodrigo Maia e pelo senador Davi Alcolumbre, temos a chance de maior protagonismo da população e menos prevalência de pequenos interesses.

Todos temos de ter em mente que o Brasil precisa da racionalidade irrestrita de seus líderes. O governo federal tem um time de primeira linha e capacitado para garantir que os efeitos da crise mundial sejam menores aqui.

Mas para tudo isso é preciso haver uma compreensão de toda a sociedade com o momento difícil. De todos os lados, é preciso entender que o brasileiro deve ser protagonista nas transformações do país. Trabalho e união devem andar juntos para o país mais forte e estável. Nós empresários precisamos contribuir e escrever um novo capítulos na história, com otimismo, resiliência e parceria com o setor público. E, na política, não podemos mais permitir ações baseadas no obscurantismo, na falta de transparência e em visões individualistas.

Gostem ou não, o presidente Jair Bolsonaro criou um novo capítulo na política brasileira. Estabeleceu nova dinâmica com o eleitor de forma absolutamente espontânea, sem filtro e sem fantasia de marqueteiro. Ele é direto no diálogo com a população. É uma nova cultura política que emerge e que precisa ser respeitada.

Temos, portanto, um ambiente capaz de enfrentar todas as dificuldades adiante. Não podemos nos desmobilizar. É o momento de fortalecer as instituições e confiar nos nossos líderes. Com eles teremos a chance de fazer o país crescer, gerar emprego e riqueza. Tornaremos a economia mais dinâmica, menos burocrática e empreendedora. É por esse Brasil que luto todos os dias.

*Cientista política, diretora-executiva do Grupo Voto e presidente do Movimento Brasil de Ideias