Novas tecnologias “ESG” - Coluna

Novas tecnologias “ESG”

15.06.2022 08:30

Vladimir e Estragão são os dois protagonistas da peça teatral “Esperando Godot”, marco da chamada dramaturgia do absurdo, escrita pelo novelista irlandês Samuel Beckett. Na cena final eles concordam em prosseguir sua jornada, mas suas palavras são contrastadas pela inação: ambos continuam imóveis, esperando.

Dessa esperança passiva que conclama à inação, o povo brasileiro se afastou. Notadamente, a partir de 2013, os movimentos sociais resolveram unir a esperança à ação, numa construtiva atitude de “esperançar”. Claro que erros e armadilhas, progressivamente purgados, existiram no caminho, mas excelentes iniciativas ganharam espaço.

Podemos citar, dentre outros movimentos de renovação política oriundos da sociedade civil, o RenovaBR, Movimento Acredito, LIVRES, LOLA, RAPS, entre tantos outros. Essa quantidade de novos atores políticos, ávidos pela construção de um marco institucional brasileiro que possua por base a Justiça, mostra que nossa sociedade civil se cansou de esperar deitada eternamente em berço esplêndido!

Oriundos desses movimentos, alguns deputados e até mesmo senadores compartilham o gabinete parlamentar, de maneira a estabelecer maior eficiência no trato com os recursos públicos, efetividade no desenvolvimento de políticas públicas e racionalidade administrativa.

Fruto dessa cooperação, foi desenhado o “laranjômetro”, um mecanismo de inteligência artificial que busca, a partir de dados obtidos automaticamente na internet, candidaturas falsas de mulheres, utilizadas com o único intuito de burlar as demandas eleitorais das quotas femininas. Esse algoritmo foi disponibilizado, recentemente, ao Ministério Público Eleitoral para que sejam facilitadas as investigações contra os criminosos nas eleições.

O “laranjômetro” é um exemplo, dentre muitos outros, de como a participação política da população pode melhorar a qualidade democrática nacional. Mas também, ele denota a maneira como o advento de novas tecnologias é capaz de impulsionar os valores decorrentes do pilar “ESG”.

Seja no cruzamento de dados extracontratuais dispersos no mundo virtual, para combater a corrupção, seja na utilização de toda essa compilação para a construção de políticas públicas eficientes e inclusivas, as novas modalidades tecnológicas, que se encontram fundadas na inteligência artificial, podem trazer imensos ganhos qualitativos para o trato público brasileiro.

De posse de todas essas informações, os novos modais tecnológicos ajudarão a construção política brasileira, a cada dia mais vinculada à vida dos cidadãos, no desenvolvimento de um quadro institucional verdadeiramente sustentável, que possa aliar a ética, a prosperidade e a justiça.

FALE COM O BOLETIM

Jornalismo: jornalismo@boletimdaliberdade.com.br

Comercial: comercial@boletimdaliberdade.com.br

Jurídico: juridico@boletimdaliberdade.com.br

Assinatura: assinatura@boletimdaliberdade.com.br