fbpx

LOLA Brasil – movimento de mulheres liberais – tem nova gestão

Anne Dias é a nova presidente do LOLA no Brasil. A organização mundial forma lideranças femininas na defesa da liberdade econômica
Anne Dias, presidente do LOLA Brasil, movimento de mulheres liberais
Foto: Dani Santana

Compartilhe

O movimento de mulheres liberais Ladies of Liberty no Brasil está sob nova direção. Anne Dias é a nova presidente do LOLA Brasil. A advogada assumiu o lugar de Cecília Lopes na presidência da organização, enquanto a também advogada Letícia Barros ocupou o cargo de vice-presidente. O mandato de Cecília Lopes teve início em 2018 e foi até dezembro de 2022, igualmente ao período que o projeto chegou ao Brasil. 

A nova gestão explicou ao Boletim que o objetivo do projeto é engajar mais mulheres com a filosofia liberal, bem como promover a liberdade para novos públicos. O Ladies of Liberty já alcançou mulheres em 30 países, formando lideranças femininas para a defesa do liberalismo e da liberdade econômica. 

Leia também:  Até 15 anos de prisão: Iraque criminaliza relações homoafetivas, mas até onde o Estado deve interferir nas relações humanas?

A nova presidente LOLA Brasil, Anne Dias, ressaltou que a representatividade feminina no movimento pela liberdade ainda é baixa. “O LOLA representa todas as mulheres que estão na política, são batalhadoras, empreendem, trabalham para sustentar os filhos e querem uma representação política. Queremos acolher essas mulheres e mostrar que na política podemos trazer isso”, comunicou. 

Além da nova presidência foram lançados outros nomes para ocupar a diretoria. A economista Mariana Sinício assume como diretora de Relações Governamentais e Advocacy; A advogada Izabela Patriota passa a ocupar cadeira de diretora de Fundraising e Relações Internacionais; Laura Lima, formada em Direito, assume o cargo de diretora de Moblização de Eventos; a advogada Monica Rosenberg passa a ser diretora jurídica; e Vanny Moraes assume o posto de diretora de Comunicação. 

Leia também:  Até 15 anos de prisão: Iraque criminaliza relações homoafetivas, mas até onde o Estado deve interferir nas relações humanas?

Conflito de Ideias

Em 2022, o movimento LOLA Brasil perdeu associadas, bem como recebeu muitas reclamações nas redes sociais após posicionamentos da gestão anterior. A ex-presidente do movimento Cecília Lopes, que atua como assessora parlamentar em São Paulo, fez campanha aberta para Luiz Inácio Lula da Silva. Lopes argumentava defender a democracia ao fazer campanha para o atual presidente, que é publicamente contra qualquer movimento de liberdade econômica. Após o anúncio da nova diretoria, personalidades reconhecidas no meio liberal e libertário comemoraram. “Agora vai”, comentou Raphaël Lima do Ideias Radicais.

Assine o Boletim da Liberdade e tenha acesso, entre outros, às edições semanais da coluna panorama

plugins premium WordPress
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?