fbpx

Kataguiri e Rubinho representam contra CUT e Lula na Justiça

Parlamentares destacaram que é irregular propaganda por meio de pessoa jurídica (a CUT) e o disparo em massa

O vereador Rubinho Nunes (União/SP) e o deputado federal Kim Kataguiri (União/SP), ambos ligados ao MBL, protocolaram nesta quarta-feira (15) uma representação eleitoral contra o ex-presidente Lula (PT), a central sindical CUT e o Facebook.

Na avaliação dos parlamentares, que buscarão na próxima eleição um mandato na Câmara – no caso de Kim, o segundo -, as respectivas entidades estão veiculando “propaganda eleitoral antecipada e irregular” em favor do petista.

A ação teve como base uma reportagem publicada pelo jornal “Metrópoles” que apontou, inclusive por meio de vídeos, que líderes sindicais da CUT estariam se mobilizando para fazer militância favorável a Lula por meio de mensagens eletrônicas no WhatsApp. Como se sabe, o petista é histórico aliado da central.

Leia também:  Lula deixa Hamas orgulhoso e se afasta de Israel, após fala na Etiópia

De acordo com a peça assinada pelo advogado Paulo Henrique Franco Bueno, entre outros pontos, haveria “ilegalidade de realização de propaganda eleitoral por pessoa jurídica”.

“A Central Única dos Trabalhadores é entidade sindical que constitui pessoa jurídica de direito privado, sendo incontroverso tratar-se de pessoa jurídica que vem divulgando publicações contendo propaganda eleitoral extemporânea. Não bastasse a  extemporaneidade e a divulgação por pessoa jurídica, o disparo em massa de conteúdo eleitoral é vedado pela legislação e pelas resoluções do TSE, que somente permite o encaminhamento de conteúdos por pessoas naturais”, destacou.

Ao fim, os parlamentares requereram a “suspensão dos disparos em massa patrocinados por pessoa jurídica” em favor de Lula, bem como a junção de provas e depoimentos das partes e das testemunhas.

Leia também:  Lula faz primeira viagem internacional de 2024, nesta terça (12)
01 - REP ao MPE - Propaganda antecipada disparo em massa - Rubinho e Kim x CUT e Lula

Outra frente

As chamadas “brigadas digitais” da CUT que estariam atuando em favor de Lula (PT) também devem enfrentar oposição de mais um deputado: Paulo Martins (PL/PR).

Em comunicado enviado à imprensa, a equipe de Martins afirma que também houve o protocolo de uma representação contra a CUT na Procuradoria Geral Eleitoral pelas “suspeitas […] de disparos em massa em prol da campanha do ex-presidente Lula”.

“Se comprovados, os fatos podem levar à inelegibilidade do pré-candidato por abuso do poder econômico e utilização indevida dos meios de comunicação social”, afirmou Martins, que é aliado do presidente Jair Bolsonaro.

Compartilhe essa notícia:

Assine o Boletim da Liberdade e tenha acesso, entre outros, às edições semanais da coluna panorama

plugins premium WordPress
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?