fbpx
PUBLICIDADE

Bolsonaro nunca quis reforma tributária, diz Moro

Ex-ministro da Justiça de Jair Bolsonaro admitiu bastidores de reuniões ministeriais em que Bolsonaro também teria defendido que reforma administrativa ficasse apenas para o segundo mandato
Foto: Reprodução/YouTube
PUBLICIDADE

Pré-candidato à presidência da República pelo Podemos, Sérgio Moro afirmou em entrevista ao “Pânico na Rádio” nesta segunda-feira (14) que o presidente Jair Bolsonaro (PL) nunca buscou uma reforma tributária.

PUBLICIDADE

“Em 2019, o presidente, em uma reunião ministerial, disse – e tem todos os ministros como testemunhas – que reforma administrativa era coisa de segundo mandato. Reforma tributária o presidente nunca foi a favor. Na campanha é uma coisa, agora você tem que ver como é o comportamento no governo”, disse o ex-ministro, em resposta ao economista Samy Dana.

Ainda segundo Moro, a estratégia de Bolsonaro, a partir disso, foi fazer um “jogo de cena” para “transferir a responsabilidade para os outros”. “A culpa é do governador, a culpa é do Congresso…”, afirmou Moro, questionando a liderança de Bolsonaro.

PUBLICIDADE

Relacionamento com o Congresso

Na mesma entrevista, Sérgio Moro também disse que, caso eleito, por não ser Bolsonaro nem Lula, “não tem rabo preso para conversar com o Congresso”.

Leia também:  Rochamonte: 'Nem Lula, nem Bolsonaro, é que vão salvar a democracia'

“Eu sou uma pessoa de diálogo sem me tornar um refém no começo dessa conversa. Eu tenho um passado de integridade, honestidade e combate à corrupção. Muito diferente de Lula e de Bolsonaro”, afirmou.

O ex-ministro da Justiça também defendeu que o Brasil retome “uma agenda de reformas que são modernizantes no país” e que é preciso fazer, em 2023, “a reforma tributária e a reforma administrativa […] voltada ao corte de privilégios e no serviço público de qualidade”.

PUBLICIDADE

Justiça

Na entrevista, Sérgio Moro também criticou o Supremo Tribunal Federal. “Quando ele [o STF] vem e anula essas condenações [da Lava Jato] por motivos formais, sem entrar no mérito, que ninguém entende os motivos; […] ele merece críticas, [pois está] mandando uma mensagem para a sociedade que compensa ser desonesto”, afirmou o pré-candidato pelo Podemos.

Leia também:  Bolsonaro anuncia desfile militar em Copacabana em 7 de setembro

Reconhecendo ter bons ministros na corte, o ex-juiz também avaliou, por outro lado, que Bolsonaro “é parte disso” e admitiu, outra vez, que Bolsonaro nunca se empenhou pela execução da pena em segunda instância, medida que considera “essencial no combate à criminalidade”.

“Eu sempre fui um defensor [da execução de pena em segunda instância], eu fui no Supremo defender lá […], [mas] quando o Supremo reviu aquela decisão, dentro do Planalto, quando todos aqueles criminosos foram colocados em liberdade, quando o Lula foi colocado em liberdade, o [Palácio do] Planalto comemorou, porque eles achavam que aquilo era bom do ponto de vista eleitoral para eles. O presidente – isso é fato – mandou o filho apagar um tweet dizendo que era ‘importante a execução em segunda instância’.  […] Eu fui no Congresso defender a aprovação de uma PEC e de uma lei para colocar a execução em segunda instância no lugar e um ministro ligado ao presidente me disse que Bolsonaro ‘não quer que eu meta com essa pauta’. Eu pensei: ‘é brincadeira, né?’. […] Meu compromisso é execução em segunda instância, acabar com foro privilegiado para todo mundo, inclusive para presidente da República, e se o presidente da República manda uma [Proposta de] Emenda Constitucional dizendo que acaba com o foro privilegiado para todo mundo, inclusive para ele, eu duvido que o Congresso não aprove”, disse.

PUBLICIDADE

Compartilhe essa notícia:

APOIO

Obrigado por ter lido até aqui.

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?