fbpx

Moro diz que Bolsonaro não quis atuar pela prisão em segunda instância

Hoje pré-candidato à presidência pelo Podemos, ex-ministro de Jair Bolsonaro afirmou que mensagem lhe foi repassada por então colega da área militar e avaliou que tema poderia ter avançado com o apoio do Planalto
Sérgio Moro, ex- ministro da Justiça e Segurança Pública (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Compartilhe

Em entrevista à TV Jovem Pan News, o ex-juiz e hoje pré-candidato à presidência da República pelo Podemos, Sérgio Moro, atribuiu a Bolsonaro o fato de o país não ter conseguido retomar a prisão em segunda instância, medida que foi derrubada pelo Supremo Tribunal Federal em 2019. [1]

Na avaliação dele, além de o governo não ter feito nada, “o Planalto, internamente, comemorou, em uma visão equivocada que aquilo era bom politicamente para o presidente”.

“Aquilo, para mim, foi um desapontamento completo. Depois, eu fui trabalhar no Congresso para a gente voltar com a prisão em segunda instância. Teria conseguido se tivesse tido o apoio do presidente, mas o presidente não queria saber dessa pauta”, destacou Moro, que afirmou que o desinteresse de Bolsonaro lhe foi comunicado por um “ministro vinculado ao presidente da área militar”.

Leia também:  Moraes arquiva investigação contra Bolsonaro por dormir em embaixada

Na sequência, Moro disse que, mesmo avisado, avisou que iria mexer com a pauta “de qualquer jeito” por compreender que se tratava de uma “pauta institucional para o país”.

“Todo mundo sabe a verdade: esse governo atual não tem compromisso nenhum com o combate à corrupção e ele é o responsável pela volta do PT e do Lula ao cenário eleitoral”, disse.

Confira, abaixo, o trecho na íntegra:

Assine o Boletim da Liberdade e tenha acesso, entre outros, às edições semanais da coluna panorama

plugins premium WordPress
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?