fbpx

Bolsonaro adianta a lideranças evangélicas posição sobre liberação de jogos

Presidente teria afirmado, segundo o jornal "O Globo", que vetará a iniciativa; Silas Malafaia, apoiador do presidente, é um dos principais críticos dos jogos: "destrói a pessoa humana"
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Compartilhe

De acordo com o divulgado pelo jornal “O Globo”, o presidente Jair Bolsonaro (PL) se comprometeu com lideranças evangélicas de que vetará o projeto que prevê a legalização dos jogos de azar no país caso a medida seja aprovada no Congresso.[1]

O tema, como se sabe, encontra forte objeção dos protestantes, cujas lideranças têm criticado o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP/AL), por, supostamente, viabilizar a rápida tramitação do projeto na Casa.

Silas Malafaia, apoiador de Bolsonaro, classifica a iniciativa como “desgraça social”. Ele tem divulgado diversos vídeos sobre o tema em suas redes sociais.

“Há estudos que mostram [que os jogos de azar] não contribuem em nada com a economia. Sabe quem vão ser os mais afetados? Os aposentados, que são os que mais vão jogar e que se tornam compulsivos”, reclamou Malafaia.

Leia também:  Caixa Loterias deve lançar novos produtos para enfrentar mercado de jogos, diz diretora

Segundo ele, a aprovação dos jogos de azar “só interessa a grupos econômicos poderosos e à lavagem de dinheiro de corrupto”.

“Não beneficia em nada a economia do país. Não venha aqui fazer comparação com os Estados Unidos e com a Europa, que são outro nível social”, disse. [2]

Assine o Boletim da Liberdade e tenha acesso, entre outros, às edições semanais da coluna panorama

plugins premium WordPress
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?