fbpx

Bolsonaro decide vetar itens de luxo de licitação pública; medida foi proposta por liberal

Tópico já havia sido aprovado em lei, cujo artigo sobre o tema foi de autoria de deputado federal Gilson Marques, do NOVO/SC

O presidente Jair Bolsonaro regulamentou na última terça-feira (28) a proibição da aquisição de produtos de luxo em licitações públicas. [1]

A previsão já havia sido aprovada na Lei 14.133/2021, sancionada em abril, que tratou de licitações. O artigo sobre produtos de luxo, por usa vez, é de autoria do  deputado federal liberal Gilson Marques (NOVO/SC).

No decreto do presidente Jair Bolsonaro desta semana, critérios como ostentação, opulência, forte apelo estético e requinte serão utilizados para definir o que representaria o luxo nos produtos de licitação.

Gilson Marques (NOVO/SC), autor do projeto (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

A regra, agora, valerá para toda a administração pública federal, autárquica e fundacional, não se aplicando, contudo, em outros poderes.

Defensor do modelo, Marques celebrou a regulamentação e defendeu que o exemplo seja seguido por outras entidades do Poder Público, destacando, em especial, o Supremo Tribunal Federal.

Em comunicado à imprensa, o parlamentar disse que a iniciativa de propor isso na legislação “surgiu após notícias de uma licitação do STF […] para compra de lagostas, camarões e outros itens, como vinhos premiados e uísques”. [2]

Compartilhe essa notícia:

Assine o Boletim da Liberdade e tenha acesso, entre outros, às edições semanais da coluna panorama

plugins premium WordPress
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?