fbpx
PUBLICIDADE

Ministro do STF defende voto de confiança à ‘boa fé’ de Jair Bolsonaro

O ministro argumentou que a corte máxima do Judiciário evitou aumento de mortes na pandemia e que não atrapalhou o governo federal
Gilmar Mendes (Foto: Divulgação/EBC)
PUBLICIDADE

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes, em entrevista à Folha publicada neste sábado (11), afirmou que é preciso acreditar na “boa fé” do presidente Jair Bolsonaro. O presidente divulgou nesta quinta-feira (9) uma nota alegando que suas palavras contra ministros do STF – em especial Alexandre de Moraes – nas manifestações de 7 de setembro foram feitas “no calor do momento”. [1]

PUBLICIDADE

Gilmar Mendes criticou o acirramento de ânimos, pontuando que a meta de vacinação não foi cumprida e as autoridades estão praticando “esse novo esporte de agressões contínuas e alguns delírios”. Ainda de acordo com o ministro, o inquérito das fake news impediu que o Brasil tivesse “derrapado para um modelo de perfil muito autoritário”.

Leia também:  Bolsonaro afirma ter três possíveis destinos após as eleições de 2022

O ministro ainda defendeu a atuação do STF no contexto do combate à pandemia do coronavírus: “se nós tirarmos a ação do Supremo neste processo da pandemia, certamente, eu não consigo projetar, nós teríamos muito mais milhares de mortos”.

PUBLICIDADE

Quando questionado sobre a nota de Bolsonaro, Gilmar Mendes ponderou: “Temos de acreditar na boa-fé da manifestação e vamos aguardar os desdobramentos. (…) Eu só quero deixar claro que nós estamos cumprindo rigorosamente o nosso papel. Nós nos dedicamos às coisas que, de fato, valem a pena e que podem ter resultados animadores até do ponto de vista eleitoral”.

Gilmar Mendes acrescentou que “precisamos de diálogo e precisamos verter nossa energia para esse imenso desafio de reconstrução nacional, de superação desse estado de coisas”. O ministro do STF arrematou: “Eu sou um admirador da atividade política. Eu acredito nisso. Não acho que haja solução fora da atividade política”.

Leia também:  Bolsonaro reúne multidão e ameaça desobedecer STF em discurso inédito

A declaração do ministro foi ironizada pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), pré-candidato aprovado por seu partido à Presidência da República em 2022. “O difícil é acreditar na boa-fé do Gilmar Mendes”, ele publicou em sua conta no Twitter. [2]

Na contramão de Gilmar, o ex-ministro do STF Celso de Mello julgou a nota uma farsa e especulou que ela poderia ser “mero recurso estratégico de Bolsonaro para iludir, mediante conduta desqualificada e tisnada pela eiva da farsa, aqueles que, fieis à Constituição (como os Juízes do Supremo Tribunal Federal), buscam implementar o necessário convívio harmonioso entre os Poderes da República”. [3]

PUBLICIDADE

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama