fbpx
PUBLICIDADE

Secretário de Guedes questiona relevância do Palácio Capanema

Edifício Gustavo Capanema, de propriedade do governo federal e considerada joia da arquitetura modernista brasileira, foi especulado para leilão de imóveis do governo federal
Foto: Marcos Leite Almeida/Wikimedia
PUBLICIDADE

O advogado Geanluca Lorenzon, secretário de Advocacia da Concorrência e Competitividade do Ministério da Economia, saiu em defesa nas redes sociais da venda do Palácio Capanema, edifício do governo federal situado no centro do Rio de Janeiro e cuja possível privatização tem gerado protestos de grupos sociais. [1][2]

PUBLICIDADE

“Tanta revolta com a venda do Palácio Capanema no Rio. Por que não faz como em outros países: juntem-se em uma fundação e comprem. Até conselhos podem comprar, não?”, ironizou.

Na sequência, Lorenzon, que tem passagem por diversos grupos liberais, também opinou que “o que não pode é um país pobre gastar dinheiro mantendo milhares de imóveis porque a classe média alta os julga importantes”.

PUBLICIDADE

Contexto

No centro da polêmica, a possibilidade de o Palácio Capanema, também chamado Edifício Gustavo Capanema, inaugurado em 1945 para sediar o então Ministério da Educação e Saúde, ser colocado à venda em uma lista de imóveis a serem privatizados pelo governo federal.

Inaugurada pelo então presidente Getulio Vargas, a obra é considerada uma das joias da arquitetura brasileira, sendo uma das primeiras construções do estilo modernista no mundo.

Além de assinada por arquitetos como Oscar Niemeyer e Lúcio Costa (que, anos depois, se juntariam em parceria na construção de Brasília) e de ter contado com a consultoria de Le Corbusier, responsável pela construção do prédio da ONU, em Nova York (EUA), há ainda jardim projetado por Burle Marx e revestimento de azulejo de Cândido Portinari.

PUBLICIDADE

De acordo com o jornal “O Dia”, no entanto, o prédio não será oferecido à leilão, embora possa vir a receber ofertas a qualquer tempo. A construção é tombada desde 1948. [3]

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

Podcast

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama