fbpx
PUBLICIDADE

Tribunal confirma que recusar vacina pode justificar demissão

Decisão se aplicou a caso específico, não havendo ainda um entendimento consensual do Poder Judiciário sobre o assunto; segurança de colegas de trabalho e pacientes foi considerada
Foto: Adobe Stock
PUBLICIDADE

O Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, julgando o caso de uma auxiliar de limpeza de São Caetano, tomou uma decisão nesta quinta-feira (22) que pode marcar novo capítulo nas consequências da pandemia. De acordo com o Tribunal, recusar-se a tomar vacina contra o coronavírus pode ser motivo para demissão por justa causa. [1][2]

PUBLICIDADE

A decisão é a primeira em segunda instância a deliberar sobre o tema na Justiça do Trabalho. A mulher que foi demitida trabalhava em um hospital da região. Para o tribunal, o interesse particular da auxiliar de limpeza não poderia prevalecer sobre o interesse coletivo e ela colocaria em risco a saúde dos colegas de trabalho e dos pacientes.

Em fevereiro, o Ministério Público do Trabalho já havia estabelecido uma orientação para que os trabalhadores que se recusassem a tomar a vacina sem a apresentação de razões médicas documentadas fossem sujeitos a demissão por justa causa. Porém, ainda não há consenso no Judiciário sobre o assunto.

PUBLICIDADE

Leia também:  São Paulo exigirá vacinação para frequentar restaurantes, bares e shoppings

A demissão nessa modalidade dispensa o direito ao aviso prévio, ao seguro-desemprego e à multa de 40% do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. O parecer do Ministério Público já sustentava a necessidade de as empresas conscientizarem seus empregados sobre a importância de aceitarem a vacinação.

A medida não é aceita com unanimidade. Para a especialista em Direito do Trabalho Cíntia Fernandes, “aplicar uma justa causa ao empregado que se recuse no momento em que estamos, sem que haja uma legislação sobre o assunto, é uma medida extrema, inclusive com a violação e garantias constitucionais”.

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama