fbpx
PUBLICIDADE

Rosa Weber autoriza abertura de inquérito contra Jair Bolsonaro

Decisão da ministra do STF considera que suposta prevaricação teria sido cometida durante o mandato, o que justifica a abertura do inquérito
(Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF)
PUBLICIDADE

As denúncias veiculadas pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF) na CPI da Covid-19 tiveram consequências no Supremo Tribunal Federal. Nesta sexta-feira (2), a ministra Rosa Weber autorizou a abertura de um inquérito para investigação do presidente Jair Bolsonaro por suposto crime de prevaricação. [1] [2]

PUBLICIDADE

A investigação permitida por Rosa Weber terá inicialmente um prazo de 90 dias. A decisão da ministra foi tomada atendendo a um pedido da Procuradoria Geral da República apresentado no mesmo dia. A mesma decisão autoriza a Procuradoria a tomar depoimentos dos envolvidos e requisitar informações a órgãos públicos.

O foco da denúncia feita por Luis Miranda durante a CPI na semana passada é a vacina indiana Covaxin. De acordo com ele e seu irmão, Luis Ricardo Miranda, servidor do Ministério da Saúde, os dois teriam relatado diretamente a Bolsonaro suspeitas relativas às negociações para aquisição da vacina.

PUBLICIDADE

Leia também:  CPI quer indiciar Bolsonaro em 9 crimes: veja quais

As suspeitas envolveriam um esquema de superfaturamento, com suposta participação do líder do governo Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). O presidente da República, de acordo com os irmãos Miranda, teria ouvido o alerta sem tomar nenhuma atitude, o que configuraria um caso de prevaricação.

Ainda segundo o depoimento, o próprio Bolsonaro teria comentado que se tratava de “mais uma desse cara”, referindo-se a Barros. O presidente da CPI, o senador Omar Aziz, afirmou ao jornal O Globo que a prevaricação de Bolsonaro é um fato.

“Ele não desmente. Ele não encaminhou (a denúncia) para a Polícia Federal. A Polícia Federal abriu nessa quarta-feira esse inquérito. Depois de quantos meses? É um fato”, declarou Aziz. O presidente Jair Bolsonaro nega que Miranda tenha relatado o caso, enquanto o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello afirma ter sido informado da questão, mas não ter encontrado nenhuma irregularidade. [3]

Leia também:  Paulo Guedes defende financiar Auxílio Brasil com imposto sobre dividendos

“Sem embargo, não é demasiado consignar que a autorização para a apuração da materialidade e autoria de fatos alegadamente criminosos não implica, em absoluto, a emissão antecipada de qualquer juízo de valor a respeito da responsabilidade criminal do investigado, em benefício do qual vigora a presunção constitucional de inocência”, enfatizou Rosa Weber ao autorizar a investigação.

PUBLICIDADE

“No caso concreto, o exame da petição formulada pela Procuradoria-Geral da República permite concluir que a conduta eventualmente criminosa atribuída ao Chefe de Estado teria sido por ele perpetrada no atual desempenho do ofício presidencial”, ela também ressaltou, justificando a própria decisão.

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

Podcast

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?