fbpx
PUBLICIDADE

Adilson Barroso é afastado da presidência do Patriota

Convenção foi considerada "ilegal" pelos senador Flávio Bolsonaro, que tem no dirigente partidário um aliado para levar o presidente à sigla
Foto: Reprodução/Twitter
PUBLICIDADE

A maioria da Executiva Nacional do Patriota decidiu nesta quinta-feira (24) afastar o presidente Adilson Barroso do comando da sigla por 90 dias. A medida é uma retaliação à negociação e movimentação do político para abrigar a família Bolsonaro e seus aliados para 2022. [1]

PUBLICIDADE

O partido está rachado porque os dois grupos que comandam a instituição desde sua fusão com o PRP não estão em consenso com as condições de entrada de Bolsonaro no partido.

Atualmente, dividem esse espaço Barroso, que criou o PEN, depois transformado em Patriota; e Ovasco Resende, antigo líder do PRP, que fundiu-se à sigla, mas, em contrapartida, assumindo a vice-presidência da agremiação e levando aliados para a executiva nacional. Com o afastamento de Barroso, Ovasco assume a direção.

PUBLICIDADE

Flávio Bolsonaro, o primeiro do clã Bolsonaro filiado à sigla, criticou a convenção que afastou Barroso, seu aliado. Considerou que foi um gesto de uma “ala minoritária do Patriota” e que a reunião que determinou o afastamento foi “ilegal, sem previsão no estatuto”.

“Fui para o Patriota antes de todo mundo para arrumar a casa e é o que vamos fazer”, disse Flávio.

Na prática, a confusão, outra vez, deve ser resolvida na Justiça. Há questionamentos sobre as alterações estatutárias promovidas por Barroso no ato de filiação de Flávio.

A família Bolsonaro, por sua vez, só se sente segura com a migração de partido se tiver controle sobre a sigla. Isso não implica Flávio, que possui mandato de oito anos e pode livremente mudar de partido por ter cargo majoritário.

PUBLICIDADE

Até o primeiro semestre de 2022, porém, o presidente precisará se filiar à sigla que concorrerá as eleições, assim como os deputados estaduais e federais aliados.

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama