fbpx
PUBLICIDADE

Joice Hasselmann entra na Justiça para sair do PSL e explica motivo

Em texto publicado nas redes sociais, parlamentar destacou que, mesmo após racha, a sigla vem negociando com Jair Bolsonaro e permitiu a tomada de bolsonaristas de cargos importantes na Câmara
Joice Hasselmann (Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados)
PUBLICIDADE

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL/SP) anunciou em suas redes sociais nesta segunda-feira (14) que entrou na Justiça para pedir sua desfiliação do PSL. Na avaliação da parlamentar, a sigla virou “a representação do que há de pior na política”. [1]

PUBLICIDADE

Em texto, a parlamentar relembrou que o partido permitiu entregar “a liderança do partido e todas as comissões importantes e espaços” na Câmara para aliados de Jair Bolsonaro e avaliou que, ao mesmo tempo, a instituição “entregou a cabeça dos opositores ao governo”.

Hasselmann, como se sabe, foi uma das que estiveram ao lado da ala “bivarista”, em referência ao fundador e presidente da legenda, Luciano Bivar (PSL/PE), quando o partido rachou no segundo semestre de 2019 com a saída do presidente.

PUBLICIDADE

Leia também:  Fusão do PSL com o DEM pode gerar novo partido com alcunha de 'liberal'

A deputada referiu-se, depois, às negociações sobre a possível volta de Jair Bolsonaro à sigla para disputar as eleições de 2022. Como noticiado pelo Boletim da Liberdade, o tema foi discutido ao longo de meses. Hoje, as maiores chances são o PSL apoiar a coligação de Bolsonaro do que propriamente abrigá-lo no próprio partido.

Segundo a deputada, o PSL “se apequenou de vez quando decidiu deixar aberta a porta para o psicopata que ocupa a presidência” e que essa negociação é feita “debaixo do nariz de todo mundo”.

“Não vou participar disso, nem com uma arma na cabeça. Não me vendo. E já havia avisado a executiva nacional”, disse.

Ainda segundo a parlamentar, o PSL “é cúmplice de todas as traições de Bolsonaro”, avaliando que o presidente “traiu o povo” e que o partido “fez a mesma coisa”, inclusive com o próprios aliados “que acreditaram em alguma decência da legenda”.

PUBLICIDADE

Leia também:  Fusão do PSL com o DEM pode gerar novo partido com alcunha de 'liberal'

“Não há a menor condição de eu ficar numa legenda que mantém negociatas com Bolsonaro e sua tropa. Já estive no mesmo partido desse monstro. Não cometerei o mesmo erro. Jamais”, pontuou.

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

Podcast

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?