fbpx
PUBLICIDADE

Patriota se vendeu ‘para o que há de pior’, diz vereador liberal eleito pelo partido

Rubinho Nunes, do MBL, eleito pelo Patriota em São Paulo nas eleições de 2020 prometeu deixar a sigla com a adesão de bolsonaristas ao partido
Rubinho Nunes (Foto: Afonso Braga/Câmara Municipal de São Paulo)

O vereador Rubinho Nunes (Patriota), de São Paulo, uma das lideranças eleitas pelo MBL no último ano, criticou nas redes sociais o movimento do partido para abrigar o bolsonarismo nas eleições de 2022.

Na avaliação do parlamentar, a ida do senador Flávio Bolsonaro à sigla “é profundamente lamentável” e, ao estar disponível para acolher o político, mostra “pequeneza do partido e a ausência de valores éticos e morais” da instituição.

“Sem ouvir nenhum membro do partido, o Patriota alterou seu próprio estatuto para dar plenos poderes a Jair Bolsonaro. Para mim, é uma grande tristeza fazer parte de um partido que se vendeu para o que há de pior na política brasileira”, escreveu nas redes sociais.





Rubinho Nunes também prometeu deixar a sigla. “Comigo é assim: se o bolsonarismo entre pela porta dos fundos, eu saio de cabeça erguida pela porta da frente”, disse. [1]





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama