fbpx
PUBLICIDADE

Facebook não excluirá mais publicações sobre tese de origem humana da pandemia

Rede social decidiu revisitar um dos tópicos da atualização da política de combate à desinformação publicada no dia 8 de fevereiro; reportagem do "The Wall Street Journal" reacendeu suspeita
Foto: Divulgação

O Facebook atualizou nesta quarta-feira (26) suas políticas contra a desinformação sobre a Covid-19. A partir de agora, a rede social não irá mais remover publicações que aleguem que a pandemia pode ter tido origem humana.

“À luz das investigações em andamento sobre a origem da Covid-19 e em consulta com especialistas em saúde pública, não removeremos de nossos aplicativos mais a alegação de que a Covid-19 foi feita pelo homem”, divulgou a plataforma, em comunicado.

O anúncio surge poucos dias após o “The Wall Street Journal” ter lançado novas suspeitas sobre a origem da pandemia e um dia depois de o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, solicitar reforço nas investigações sobre o tema.





No texto, a rede social salientou ainda que continua “trabalhando com especialistas para acompanhar a evolução da natureza da pandemia e atualizar regularmente nossas políticas à medida que novos fatos e tendências surgem”.

Index

O comunicado revoga um dos tópicos da atualização do dia 8 de fevereiro sobre novos critérios para a remoção de “falsas alegações” na rede social sobre a pandemia.

Além de publicações sobre a origem da doença (critério agora revogado), foram previstas punições para publicações que afirmem que as vacinas não possuem eficácia, que seja mais seguro contrair a doença em vez de se imunizar ou aquelas que difundem falsos riscos dos imunizantes, tais como serem tóxicos ou gerarem autismo.

Desde o início da pandemia, a rede social possui uma página em que explica os diversos critérios a serem utilizados para a remoção de conteúdos. Postagens que afirmem, por exemplo, que “ninguém morreu de Covid-19” ou que a pandemia seria um “uma maneira de instalar a infraestrutura de tecnologia 5G” são deletadas. [1] [2]





Toda a listagem de critérios pode ser encontrada aqui.

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama