fbpx
PUBLICIDADE

CPI da Covid-19 deve ter Renan Calheiros como relator – e o que isso significa

Acordo deve eleger o senador Omar Aziz (PSD/AM) para a presidência e o senador Randolfe Rodrigues (REDE/AP) para a vice-presidência
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
PUBLICIDADE

Uma notícia ruim para o governo nesta sexta-feira (16): o senador Renan Calheiros (MDB/AL), opositor de Jair Bolsonaro (sem partido), deve ser, por acordo, indicado para a relatoria da CPI da Covid-19 no Senado. [1]

PUBLICIDADE

A comissão, que investigará a gestão do governo federal frente à pandemia, é classificada como tendo um potencial explosivo. Dentre outras pessoas que devem ser convidadas a prestar esclarecimentos, está o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

O principal papel do relator é, após os trabalhos da comissão, apresentar um relatório conclusivo que será votado pelos colegas. É mais provável que, com Calheiros, que o relatório final seja amplamente desfavorável ao presidente.

PUBLICIDADE

Como prega o regimento, o relatório poderá ser aprovado ou não pelos demais parlamentares. Caso não seja, um novo relator é designado.

A CPI, de acordo com a jornalista Vera Magalhães, do jornal “O Globo”, deve ser presidida pelo senador Omar Aziz (PSD/AM) e terá como vice-presidente o senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP). O governo ainda articula outro nome para a relatoria, mas as chances de alterar o acordo feito e emplacar outro nome em votação seriam consideradas escassas.

Nas redes sociais, Calheiros não se manifestou após a divulgação do acordo. Mas, nos últimos dias, foi um dos parlamentares que mais celebraram a criação da CPI.

“Falei sobre a responsabilidade que o Senado tem de apurar as responsabilidades e apontar saídas para a crise humanitária que o Brasil está vivendo. Não podemos ser cúmplices desse morticínio”, avaliou no último dia 9. [2]

PUBLICIDADE

Tendo uma conduta, para muitos, errante durante a pandemia de Covid-19, Bolsonaro enfrenta o risco de, em alguma medida, ser responsabilizado por questões envolvendo a gestão federal.

Pivô da divulgação de uma conversa privada com o presidente em que Bolsonaro narra preocupação com a comissão,  o senador Kajuru, por sua vez, não foi sequer elencado como membro da CPI.

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama