fbpx
PUBLICIDADE

Twitter bane de forma definitiva conta de Donald Trump

Em comunicado enviado à imprensa, a rede social afirma que fez uma "análise detalhada dos tweets recentes" da conta e do "contexto" em que eles foram publicados, "especificamente como estão sendo recebidos"
Foto: Reprodução/Twitter
Foto: Reprodução/Twitter

O Twitter apertou o cerco e baniu, de forma definitiva, a conta do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O ato ocorreu na noite desta sexta-feira (8). [1]

Em comunicado enviado à imprensa, a rede social afirmou que fez uma “análise detalhada dos tweets recentes” da conta e do “contexto” em que eles foram publicados, “especificamente como estão sendo recebidos e interpretados dentro e fora do Twitter”.

A empresa pontuou ainda que a conta foi suspensa permanentemente “devido ao risco de mais incitação à violência”.





Conta influente

Trump contava com quase 90 milhões de seguidores e suas mensagens constantes na plataforma foram sempre amplamente repercutidas ao longo do mandato.

Na invasão ao Capitólio na última quarta-feira (6), o Twitter chegou a censurar mensagens do presidente que negavam a vitória de Joe Biden.

“Há anos deixamos claro que essas contas [de autoridades eleitas ou líderes mundiais] não estão totalmente acima de nossas regras e não podem usar o Twitter para incitar a violência, entre outras coisas”, disse a nota.

Em longa justificativa em que se aprofunda sobre os motivos de banimento, a rede social mencionou mensagens publicadas nesta sexta-feira (8) em que o presidente fala que não irá à posse de Joe Biden, como repercutido pelo Boletim da Liberdade.





Na avaliação da plataforma, publicações como essas “devem ser lidas no contexto de eventos mais amplos no país” e podem “mobilizar diferentes públicos, inclusive para incitar a violência”, podendo ser enquadrado como “glorificação da violência”.

Confira, abaixo, a nota na íntegra (traduzida):

Após uma análise detalhada dos tweets recentes da conta @realDonaldTrump e do contexto em torno deles – especificamente como estão sendo recebidos e interpretados dentro e fora do Twitter – suspendemos permanentemente a conta devido ao risco de mais incitação à violência. 

No contexto de eventos horríveis nesta semana, deixamos claro na quarta-feira que violações adicionais das Regras do Twitter potencialmente resultariam neste mesmo curso de ação. Nossa estrutura de interesse público existe para permitir que o público ouça diretamente as autoridades eleitas e os líderes mundiais. Baseia-se no princípio de que as pessoas têm o direito de manter o poder de prestar contas abertamente. 

No entanto, há anos deixamos claro que essas contas não estão totalmente acima de nossas regras e não podem usar o Twitter para incitar a violência, entre outras coisas. Continuaremos a ser transparentes em relação às nossas políticas e sua aplicação. 

A seguir está uma análise abrangente de nossa abordagem de aplicação de políticas neste caso.

Visão geral

Em 8 de janeiro de 2021, o presidente Donald J. Trump tweetou:

“Os 75 milhões de grandes patriotas americanos que votaram em mim, AMERICA FIRST, e MAKE AMERICA GREAT AGAIN, terão uma VOZ GIGANTE por muito tempo no futuro. Eles não serão desrespeitados ou tratados injustamente de nenhuma forma, forma ou forma !!! ”

Pouco depois, o presidente tweetou:

“A todos os que me pediram, não irei à posse no dia 20 de janeiro.”

Devido às tensões em curso nos Estados Unidos e um aumento na conversa global em relação às pessoas que invadiram violentamente o Capitólio em 6 de janeiro de 2021, esses dois Tweets devem ser lidos no contexto de eventos mais amplos no país e no maneiras pelas quais as declarações do presidente podem ser mobilizadas por diferentes públicos, inclusive para incitar a violência, bem como no contexto do padrão de comportamento desse relato nas últimas semanas. Depois de avaliar a linguagem nesses Tweets contra nossa política de Glorificação da Violência , determinamos que esses Tweets violam a Política de Glorificação da Violência e o usuário @realDonaldTrump deve ser imediatamente suspenso permanentemente do serviço.

Avaliação

Avaliamos os dois Tweets mencionados acima em nossa política de Glorificação da Violência , que visa prevenir a glorificação da violência que poderia inspirar outras pessoas a replicar atos violentos e determinamos que eles eram altamente propensos a encorajar e inspirar as pessoas a replicar os atos criminosos que ocorreram no Capitólio dos EUA em 6 de janeiro de 2021.

Essa determinação é baseada em uma série de fatores, incluindo:

  • A declaração do presidente Trump de que não comparecerá à posse está sendo recebida por vários de seus apoiadores como mais uma confirmação de que a eleição não foi legítima e é vista como ele negando sua reivindicação anterior feita por meio de dois tweets ( 1 , 2 ) por seu vice Chefe de Gabinete, Dan Scavino, que haveria uma “transição ordenada” em 20 de janeiro.
  • O segundo Tweet também pode servir de incentivo para aqueles que potencialmente consideram atos violentos de que a posse seria um alvo “seguro”, pois ele não comparecerá. 
  • O uso das palavras “American Patriots” para descrever alguns de seus apoiadores também está sendo interpretado como apoio aos que cometeram atos violentos no Capitólio dos Estados Unidos.
  • A menção de seus apoiadores terem uma “VOZ GIGANTE no futuro” e que “Eles não serão desrespeitados ou tratados injustamente de qualquer maneira, forma ou forma !!!” está sendo interpretado como uma indicação adicional de que o presidente Trump não planeja facilitar uma “transição ordeira” e, em vez disso, planeja continuar a apoiar, capacitar e proteger aqueles que acreditam que ele ganhou a eleição. 
  • Planos para futuros protestos armados já começaram a proliferar dentro e fora do Twitter, incluindo um ataque secundário proposto ao Capitólio dos EUA e aos edifícios do Capitólio estadual em 17 de janeiro de 2021. 

Dessa forma, nossa determinação é que os dois Tweets acima provavelmente inspirarão outras pessoas a replicar os atos violentos ocorridos em 6 de janeiro de 2021, e que há vários indicadores de que eles estão sendo recebidos e entendidos como incentivo a fazê-lo.





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama