fbpx
PUBLICIDADE


Coautor de impeachment de Dilma teme golpe de Bolsonaro em 2022

Miguel Reale Jr. lembrou a declaração do presidente da República de que apoiadores podem ‘esquecer a eleição” se o voto impresso não for adotado

- Publicado no dia
Miguel Reale Jr. (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

O jurista Miguel Reale Jr., um dos autores do processo de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff, publicou em artigo no Estadão neste sábado (2) que teme um possível golpe do presidente Jair Bolsonaro em 2022. Para ele, o mandatário da República dá sinais de que pode subverter o sistema democrático nas eleições. [1]

“O presidente coloca a imprensa como inimiga dos soldados, pois ‘está sempre contra a lei e a verdade’. Qual a razão de prestigiar cerimônias de soldados da Polícia Militar pregando contra a imprensa livre, esteio da democracia?”, questionou Reale, alegando que a estratégia de Jair Bolsonaro para esvaziar a credibilidade das instituições e do processo eleitoral seria similar à do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.


PUBLICIDADE



“A grave menção de que, ‘se não houver voto impresso, esqueça-se a eleição de 2022’, somada à corte que Bolsonaro faz às Polícias Militares, instigadas contra a imprensa livre, forma um quadro preocupante diante de possível derrota do presidente, que terá preparado o terreno para uma ‘lei marcial’, tal qual a pensada por Trump, dando fim à democracia, jamais cultuada. E daí?”, expressou o jurista.

O presidente da República vem militando desde seus tempos de atuação parlamentar pela adoção do voto impresso. Em fala na terça-feira, dia 22 de dezembro, conversando com apoiadores em Santa Catarina, Bolsonaro declarou que “se a gente não tiver voto impresso em 2022, pode esquecer a eleição”. O Supremo Tribunal Federal rejeitou a constitucionalidade da medida em setembro.

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.