fbpx
PUBLICIDADE

Bolsonaro: ‘Se algum de nós exagerou, foi no afã de buscar uma solução’

Um dia após afirmar que não irá se vacinar, presidente se mostrou otimista com o imunizante, elogiou a liderança do ministro Pazuello à frente da Saúde e adiantou que Guedes deve liberar 20 bilhões para aquisição
Bolsonaro conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada (Foto: Reprodução/YouTube)
Bolsonaro conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada (Foto: Reprodução/YouTube)
PUBLICIDADE

O Governo Federal lançou na manhã desta quarta-feira (16) em solenidade no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), o Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19. Ainda não foi anunciada a data de início da vacinação, mas o governo reforçou que o programa será nacional e igualitário, sem distinção entre os estados. Com a presença de governadores, parlamentares e ministros, Bolsonaro em sua fala mostrou-se otimista e fez uma mea-culpa. [1]

PUBLICIDADE

“Se algum de nós extrapolou ou até exagerou, foi no afã de buscar uma solução. Realmente, [a pandemia] nos afligiu desde o início. Não sabíamos o que era. E nós todos, irmanados, estamos na iminência de apresentar uma alternativa concreta para nos livrarmos desse mal. Esse foi um momento difícil que nós vivemos, mas depois da tempestade, [vem] a bonança”, disse.

Leia também:  Bolsonaro divulga o motivo pelo qual reza diariamente

Além de mencionar, de forma elogiosa, a liderança do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, no combate à pandemia, Bolsonaro ressaltou o papel da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) na “fundamental decisão de definir qual vacina deve ser apresentada de forma gratuita e voluntária para todos os brasileiros”.

PUBLICIDADE

Em vídeo exibido pouco antes, apareceram diversos logotipos de laboratórios que desenvolvem o imunizante, entre os quais o Instituto Butantan e a Sinovac.

“O ministro Paulo Guedes liberará nos próximos dias 20 bilhões de reais para comprarmos a vacina daquela empresa que se encaixar nos critérios de segurança e efetividade da nossa Anvisa. A todos os brasileiros, nesse momento de entendimento, de paz é que eu cumprimento a todos. Se Deus quiser, brevemente, estamos na normalidade”, previu.

Leia também:  Bolsonaro toma decisão sobre entrevista no Jornal Nacional

Apesar do tom pacífico, a declaração vem um dia após comentários de Bolsonaro repercutirem negativamente em parte da opinião pública.

PUBLICIDADE

Reiterando em entrevista, outra vez, que não pretende se vacinar (“se eu pegar outra vez, o problema é meu”), o presidente aglomerou-se com populares e policiais em São Paulo, não obedecendo procedimentos de isolamento social recomendados em um momento que o país vive sua segunda onda de infecção. [2]

Compartilhe essa notícia:

APOIO

Obrigado por ter lido até aqui.

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?