fbpx
PUBLICIDADE


NOVO pede à Procuradoria que investigue supostos relatórios da ABIN

Em nota, a ABIN negou o contéudo da publicação e afirmou que os “supostos documentos” apresentados pela revista “não foram produzidos pela Agência Brasileira de Inteligência”

- Publicado no dia
Foto: Reprodução/Conectas

Uma reportagem publicada nesta sexta-feira (11) pela revista Época afirma que a Agência Brasileira de Inteligência, a ABIN, teria produzido relatórios para auxiliar a estratégia da defesa de Flávio Bolsonaro no caso das rachadinhas. O Partido Novo afirmou que entrará com uma representação à Procuradoria Geral da República para apuração do caso. [1][2]

“Para o NOVO, todos são iguais perante a Lei e os órgãos públicos devem ser regidos pelo princípio da impessoalidade. É inadmissível o aparelhamento das instituições para defender o filho do presidente da República”, afirmou Eduardo Ribeiro, presidente do partido.


PUBLICIDADE



Outro lado

Em nota, a ABIN negou o contéudo da publicação e afirmou que os “supostos documentos” apresentados pela revista “não foram produzidos pela Agência Brasileira de Inteligência”.

“O GSI [Gabinete de Segurança Institucional] reitera […] que afirmou que não realizou qualquer ação decorrente por entender que, dentro das suas atribuições legais, não lhe competia qualquer providência a respeito do tema. As acusações são desprovidas de veracidade, se valem de falsas narrativas e abordam supostos documentos, que não foram produzidos pela Agência Brasileira de Inteligência”, diz a entidade. [3]

A Agência Brasileira de Inteligência, como se sabe, é dirigida pelo delegado da Polícia Federal Alexandre Ramagem, a quem o presidente Jair Bolsonaro já tentou, no passado, nomear para dirigir a PF. [4][5]

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.