fbpx
PUBLICIDADE

Deputados do PSL protocolizam projeto contra vacinação obrigatória

Parlamentares querem incluir no Código Penal pena de reclusão à autoridade do Poder Executivo que obrigue procedimento e também remover alíneas de lei sancionada Bolsonaro que prevê vacinação "compulsória"
Foto: : Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

Foto: : Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

Os deputados federais Luiz Phillipe de Orleans e Bragança (PSL/SP) e Carla Zambelli (PSL/SP) protocolizaram nesta terça-feira (20) um projeto de lei para proibir que haja, por iniciativa por qualquer uma das três esferas do Poder Executivo, a obrigação que os cidadãos tomem tratamentos médicos que levem à risco de vida. [1]

Dentre os exemplos citados pela proposta, estariam a vacinação e a intervenção cirúrgica. O projeto quer incluir uma punição no Código Penal que leve à autoridade que decretar esse tipo de obrigatoriedade “reclusão de um a cinco anos, se o fato não constitui crime mais grave”.

Além disso, o projeto propõe a revogação de duas alíneas da Lei 13.979/2020, que dispôs um conjunto de medidas para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. [2]





No projeto, seriam removidas as previsões de realização compulsória de “vacinas e outras medidas profiláticas” e “tratamentos médicos específicos”.

Na justificativa do texto, Zambelli e Bragança ressaltam que não há vacinas “suficientemente testadas” e que, portanto, “nesse contexto”, seria “elementar” não “obrigar os cidadãos brasileiros a se submeterem às periclitantes vacinas disponíveis”.

Como se sabe, Jair Bolsonaro tem sido um ferrenho opositor à obrigatoriedade das vacinas, enquanto que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), já sustentou que em seu estado a ideia é impor a obrigatoriedade.





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama