fbpx
PUBLICIDADE

Pré-candidatos do NOVO a vereador lideram vaquinhas em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre

Marcelo Castro, Pedro Duarte e Juan Savedra já acumularam, somados, quase R$ 100 mil em seus financiamentos coletivos de campanha - modalidade, aprovada pelo TSE, pode captar recursos desde maio
Fotos: Marcelo Castro, Pedro Duarte e Juan Savedra
Fotos: Marcelo Castro, Pedro Duarte e Juan Savedra
PUBLICIDADE

Não receber recursos do fundo partidário e eleitoral pode ser, ao que parece, um bom argumento para conquistar a colaboração de doadores privados para campanhas políticas. A constatação se dá após perceber que em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, são pré-candidatos do NOVO que lideram o ranking de financiamento coletivo.

PUBLICIDADE

A sigla é conhecida não apenas por recusar o fundo partidário e o fundo eleitoral (chegando a devolver mais de R$ 30 milhões ao Tesouro, em agosto), mas também por militar pela extinção desse modelo de financiamento.

São Paulo (SP)

O empresário e especialista em gestão de finanças públicas por Harvard, Marcelo Castro, já acumulou mais de R$ 46 mil em sua vaquinha dentro da plataforma “QueroApoiar”. Ele tentará disputar pela primeira vez uma das 55 cadeiras disponíveis no Palácio Anchieta, sede da Câmara de Vereadores de São Paulo. [1]

PUBLICIDADE

Ao todo, ele conseguiu mobilizar, até a publicação desta matéria, a ajuda de 77 apoiadores – o que dá uma média de R$ 604,50 doados por pessoa.

Leia também:  Luiz Felipe D'Avila questiona debate sobre porte de armas e surpreende

“Vim com um projeto que foge do populismo. A ideia é fazer política de maneira técnica, profunda e propositiva. Acho que as pessoas cansaram de tanta polarização e discurso raso e, por isso, estão acreditando no meu projeto”, diz.

Rio de Janeiro (RJ)

No Rio de Janeiro, a liderança no ranking fica a cargo do pré-candidato a vereador Pedro Duarte. Dono, durante alguns meses, do maior financiamento coletivo do país, até ser passado por Castro, o advogado formado pela PUC-Rio e ex-presidente do DCE da universidade tem passagem pelo movimento liberal e é alumni do Instituto Mises Brasil. [3][4]

Duarte já acumulou mais de R$ 33 mil na vaquinha, hospedada dentro da plataforma “Voto Legal”, tendo contado com a ajuda de 178 doadores – o equivalente a R$ 189,48 por colaboração. A meta inicial, de R$ 30 mil, foi batida no dia 15 de agosto, faltando mais de um mês para o início da eleição.

PUBLICIDADE

Leia também:  Marcel revela incômodo sobre comunicações políticas de curto prazo do NOVO

“É uma baita vitória – e não apenas pelo valor, mas sobretudo pelo total de pessoas mobilizadas no nosso projeto de renovação do Rio”, escreveu Duarte, na ocasião.  [4]

Ele atualizou a meta para R$ 40 mil justificando que, com o novo objetivo, poderia “executar com mais força” o seu projeto e “expandir [a futura campanha] para outras frentes de atuação”.

Porto Alegre (RS)

Apoiado pelos deputados estaduais Fábio OstermannGiuseppe Riesgo, o advogado Juan Savedra se destaca na capital gaúcha por já ter obtido R$ 18,5 mil. Ele optou pela plataforma “essentjus”.

Savedra foi coordenador estadual do Livres em 2019 e também participou do RenovaBR, onde aprendeu formas de mobilizar o apoio do público. Entre outros pontos, assumiu os compromissos de, se eleito, ser contra o aumento de impostos e contra criação de quaisquer taxas. [5]

PUBLICIDADE

Leia também:  Convidado a ser candidato a presidente pelo NOVO fala em 'alternativa de centro'

“As pessoas têm aderido ao projeto porque confiam no que estamos fazendo, confiam na nossa capacidade de fazer um excelente mandato e também porque sabem do desafio que é fazer campanha sem uso de recursos públicos”, pontua o pré-candidato.

Financiamento Coletivo

O financiamento coletivo de campanha foi idealizado na minirreforma política de 2017 e estreou, na prática, nas eleições de 2018. O modelo permite com que pré-candidatos acumulem recursos para a futura campanha a partir de maio.

Os recursos acumulados, que podem ser pagos via cartão de crédito e boleto bancário, são custodiados em empresas captadoras credenciadas pelo TSE e somente depositados nas contas eleitorais quando as candidaturas são homologadas.

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

Podcast

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?