fbpx
PUBLICIDADE


Em artigo, Mattar afirma ser mais útil se dedicando a institutos liberais

Ex-secretário de desestatização relatou em texto sobre sua experiência no Poder Executivo como Secretário de Desestatização e declarou apoio do presidente Jair Bolsonaro e do ministro Paulo Guedes

- Publicado no dia
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Um dia após deixar o governo, o empresário e ex-secretário de desestatização do Ministério da Economia, Salim Mattar, anunciou em artigo publicado no site Brazil Journal que “concluiu” que traz mais resultados dedicando o próprio tempo “aos institutos liberais Brasil afora” do que atuando de dentro do governo. [1]

No texto, Mattar classificou como “experiência única ter sido servidor público” e que “aprendeu” que as lógicas que imperam na iniciativa privada e no governo são diferentes.

“Não é melhor nem pior, apenas diferente. São mundos absolutamente distintos habitados por faunas, regras, leis e comportamentos próprios. Mundos que deveriam ser complementar mas, ao contrário, competem entre si”, pontuou.


PUBLICIDADE



Na avaliação de Mattar, os “liberais ‘de fora’ que vieram para o governo cabem num micro ônibus e são vistos como pessoas bem intencionadas, cheias de novas ideias, sonhadoras e inexperientes que querem mudar tudo”. Contudo, ainda que aplaudida, a pauta pela redução do Estado é “pouco apoiada”.

Sobre a Secretaria de Desestatização que comandou, por sua vez, opinou como sendo um órgão que acabou desenhado “sem autoridade para execução” e que o processo de privatização é “burocrático e lento”, apesar de que “alguns se esforcem”.

O empresário afirmou que o Estado possui 698 empresas “entre as de controle direto, suas subsidiárias, coligadas e com simples participações” e que “não quer ser amputado”.

Mattar pontuou ainda que “sempre teve apoio direto do presidente Bolsonaro e do ministro Guedes” e que nos últimos 19 meses foram realizados “R$ 150 bilhões em desestatização”.

Um dos proprietários da locadora de veículos Localiza, Salim Mattar foi, ao longo das últimas décadas um dos principais financiadores do movimento liberal brasileiro, ajudando a patrocinar eventos e organizações que se dedicam à difusão do ideário liberal. Contudo, interrompeu seu apoio financeiro ao entrar no governo.

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.