fbpx
PUBLICIDADE


Presidente do Banco do Brasil diz que renuncia por não se adaptar à ‘cultura de privilégios, compadrio e corrupção’

O economista afirmou que já estava pedindo ao ministro da Economia para se retirar do cargo desde maio; alegação oficial é de necessidade de renovação

- Publicado no dia
Rubem Novaes (Foto: Jose Cruz/Agência Brasil)

O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, surpreendeu ao comunicar, nesta sexta-feira (24), seu desejo de renunciar ao cargo. Neste sábado (25), em entrevista à emissora CNN, o economista apresentou uma justificativa: disse que não conseguiu se adaptar à “cultura de corrupção” em Brasília. [1] [2] [3]

Rubem Novaes foi diretor do BNDES, é ex-presidente do SEBRAE e doutor em Economia pela Universidade de Chicago – assim como o ministro da Economia Paulo Guedes. Além disso, Novaes também foi articulista do Instituto Liberal. De acordo com ele, existe uma “cultura de privilégios, compadrio e corrupção de Brasília” e ele está exausto por ter que lidar com isso.


PUBLICIDADE



Na mesma entrevista, Novaes enfatizou que já vem pedindo para abandonar o cargo desde maio. Na polêmica reunião ministerial do dia 22 de abril, cujo conteúdo foi divulgado com autorização do STF, Paulo Guedes declarou que desejava privatizar a instituição o mais rápido possível, enquanto o presidente Jair Bolsonaro pontuou que o assunto só poderia ser discutido após uma possível reeleição.

O documento que pede a renúncia ao governo federal não inclui menções aos motivos alegados por Novaes na entrevista. No texto, lê-se apenas que a solicitação foi feita “entendendo que a companhia precisa de renovação para enfrentar os momentos futuros de muitas inovações no sistema bancário”.

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.