fbpx
PUBLICIDADE


Bolsonaro diz que imposto proposto por Guedes é diferente da CPMF

O ministro da Economia e o presidente da República demonstraram entrosamento em defesa da proposta, que pretende desonerar a folha de pagamento

- Publicado no dia
Bolsonaro e Paulo Guedes (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro se pronunciou neste sábado (18) sobre a polêmica suscitada pelo projeto de reforma tributária do ministro Paulo Guedes. Para ele, a proposta é diferente da antiga Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira e “vai desonerar a folha de pagamento”. [1]

A declaração foi feita pelo presidente a apoiadores reunidos em frente ao Palácio da Alvorada. O próprio Paulo Guedes sustentou na última quinta-feira (16) que “não é o mesmo imposto com outro nome, é uma base mais ampla”, alegando que está de acordo com todos que se opõem à restauração do antigo imposto. Isso não foi suficiente para afastar as críticas.


PUBLICIDADE



“Não há espaço para debater uma nova CPMF. Nossa carga tributária é alta demais e a sociedade não admite novos impostos”, havia dito de forma taxativa o presidente da Câmara Rodrigo Maia no mesmo dia. A rejeição à possibilidade é significativa entre os parlamentares e parcela da sociedade. Na ocasião em que defendeu a medida, Bolsonaro estava ao lado da deputada Carla Zambelli (PSL-SP).

“Vamos apoiar as reformas e colocar o país nos trilhos de novo”, conclamou a parlamentar. Bolsonaro garantiu ainda que o governo federal não se omitiu no combate à pandemia do coronavírus e destinou recursos com esse fim a estados e municípios. Bolsonaro defendeu o retorno ao trabalho mais uma vez e sustentou que as medidas de distanciamento social não funcionam.

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.