fbpx
PUBLICIDADE

Secretaria do Ministério da Economia pede veto a projeto que suspende pagamentos ao Fies

De acordo com integrantes da equipe de Paulo Guedes, o problema não estaria na ideia de suspensão de pagamentos, mas no fato de que o projeto seria inconstitucional
Foto: (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Foto: (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
PUBLICIDADE

A Secretaria de Orçamento do Ministério da Economia enviou ao ministro Paulo Guedes uma sugestão de veto parcial a um projeto de lei relativo ao Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). Conforme apuração da revista Crusoé divulgada neste sábado (27), a equipe crê que o projeto é inconstitucional. [1] [2] [3]

PUBLICIDADE

O Projeto de Lei 1079/20, do deputado Dennis Bezerra (PSC/CE), suspende os pagamentos devidos pelos estudantes ao Fies durante o estado de calamidade pública relacionado ao coronavírus. O substitutivo do Senado para o projeto foi aprovado parcialmente pelo Plenário da Câmara dos Deputados no último dia 18 de junho e a matéria estava preparada para ir à sanção presidencial.

Em nota técnica, a Secretaria de Orçamento disse ao ministro Paulo Guedes que o projeto esbarra na emenda do teto de gastos aprovada durante o governo Michel Temer. O motivo seria que ela cria uma renúncia fiscal sem informar a fonte dos recursos para cobri-la.

PUBLICIDADE

Integrantes da equipe de Paulo Guedes fizeram questão de ressaltar que o ministério não é contrário à ideia de suspensão de pagamentos dos estudantes em si, compreendendo as dificuldades do momento. Contudo, seus técnicos consideram que o projeto não é contemplado pela Constituição.

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama