fbpx
PUBLICIDADE


Van Hattem critica nota da Câmara que classificou como falsa interpretação do NOVO sobre projeto de máscaras

Deputado do NOVO sustenta que projeto aprovado pela Câmara dos Deputados obriga a utilização de máscaras mesmo dentro de casa; interpretação foi classificada pelo site da Câmara como ‘falsa’

- Publicado no dia
Deputado federal Marcel van Hattem (NOVO/RS) discursa na tribuna da Câmara dos Deputados (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

O deputado federal Marcel van Hattem (NOVO/RS) criticou duramente na noite desta quarta-feira (10) uma nota publicada no site da Câmara dos Deputados que classificou como falsa interpretação do parlamentar sobre um projeto de lei aprovado pela Casa. [1]

Na última terça-feira (9), a Câmara havia aprovado o PL 1562/2020 que, visando combater a proliferação do novo coronavírus, tornava obrigatória a utilização de máscaras em diversas circunstâncias do país.


PUBLICIDADE



Nas redes, o deputado do NOVO havia pontuado que a medida não tinha “menor cabimento” e que assustava “algo tão inconstitucional ser aprovado no Senado e na Câmara”. “Fiscalização se dentro da minha casa estou usando máscara? É o fim da picada”, reclamou.  [2]

O deputado federal Paulo Ganime, líder do NOVO, também havia escrito nas redes sociais que o projeto aprovado “permite quebra de inviolabilidade de domicílio privado para fiscalizar se você e suas visitas estão de máscara”.  [3]

“Operação da polícia na favela não pode, mas entrar na sua casa para ver se você está de máscara, pode”, chegou a pontuar Ganime, no Twitter.

Foto: Reprodução/Site da Câmara dos Deputados

Segundo a Câmara, “é falso” que o projeto aprovado “obrigue o uso de máscara dentro de casa e permita invasão domiciliar”. “Não há nada no texto aprovado pela Câmara que leve a essa interpretação”, pontuou o site oficial do parlamento.

“Não há nada no texto aprovado que obrigue o uso de máscara dentro de casa ou que fale em invasão domiciliar para fiscalizar e punir a população. Segundo a Secretaria-Geral da Mesa (SGM) da Câmara, o dispositivo ´’demais locais fechados’ deve ser, como enunciado pelo projeto, espaço privado acessível ao público, nunca domicílios”, disse a nota. [4]

Crítica de Marcel

Em transmissão ao vivo com cerca de 10 minutos de duração, Marcel van Hattem lamentou o fato de a própria Câmara estar “acusando os seus deputados” e os chamando de “disseminadores de fake news”.

“No artigo, está escrito literalmente que [a fiscalização pode se dar] em ‘demais locais fechados em que haja reunião de pessoas’, ou seja, inclusive, eventualmente, [em] domicílio. Por essa lei aprovada na Câmara dos Deputados, o domicílio pode sim ser violado”, reiterou a crítica.

O parlamentar destacou que esse trecho da lei é “flagrantemente inconstitucional” e que a posição do NOVO é que, embora o uso de máscaras seja importante, não se pode “fazer a obrigação do uso de máscaras de cima a baixo no país”.

“Graças a nossa excelente assessoria do Partido Novo e a excelente bancada, nós identificamos esse absurdo. Agora, o site da Câmara desmentir deputados? Quando foi que a Câmara dos Deputados olhou o Twitter dos deputados do PT para dizer que o impeachment não foi golpe, mas um processo constitucional? Quando foi, que eu não vi? Agora, quando colocamos uma verdade, agora estão com a máquina da Câmara dizer que nós estamos espalhando notícia falsa”, reclamou.

Marcel afirmou, ao fim, que já entrou em contato com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), pediu providências e disse que “quem foi que tenha feito isso não está prestando serviço ao público, mas sim de desinformação, disseminando fake news ou fazendo prática político-partidária”.

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liebrdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.