fbpx
PUBLICIDADE

Secretário do governo Bolsonaro que esteve nos EUA tem coronavírus

O caso criou preocupação dentro do governo Bolsonaro, porque toda a delegação que foi ao jantar com Donald Trump na Florida precisa ser monitorada
À direita, Fábio Wajgarten; ao centro, Mike Pence e Donald Trump, respectivamente, vice-presidente e presidente dos EUA (Foto: Reprodução)

À direita, Fábio Wajgarten; ao centro, Mike Pence e Donald Trump, respectivamente, vice-presidente e presidente dos EUA (Foto: Reprodução)

A pandemia do novo coronavírus chegou ao Palácio do Planalto. Nesta quinta-feira (12), foi anunciado que o secretário de comunicação do governo, Fábio Wajngarten, foi diagnosticado com a doença. [1] [2]

O secretário foi colocado em quarentena e o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, determinou o monitoramento de todos que viajaram com a delegação brasileira aos Estados Unidos, entre eles o próprio presidente Jair Bolsonaro, que aguardam o resultado de exames. Wajgarten está levemente febril e não sabe como teria sofrido o contágio.

Ele é investigado pela Polícia Federal por suspeita de corrupção, peculato e advocacia administrativa. Por isso, o petista Fernando Haddad desejou a ele através das redes sociais “pronto restabelecimento e sua demissão por conflito de interesse”. A embaixada dos EUA pediu informações sobre a situação do secretário, mas o presidente Donald Trump afirmou que a interação com ele no jantar entre as delegações na Florida foi limitada. [3] [4]





“Não estou preocupado”, disse Trump. O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento em rede nacional dizendo que as manifestações marcadas para o dia 15 de março devem ser repensadas. Confira: [5]





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama