fbpx
PUBLICIDADE


MG: Após Zema propor aumento para policiais, deputados aprovam reajuste também para outras categorias

Governador do Partido Novo havia proposto um reajuste de mais de 41% na folha salarial dos servidores da segurança pública, como os policiais, que ameaçavam entrar em greve; estado tem situação financeira delicada

- Publicado no dia
Governador Romeu Zema discursando em julho (Foto: Reprodução / Facebook)

Sob ameaça de greve na segurança pública, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (NOVO), propôs à Assembleia Legislativa na última semana um reajuste salarial para os servidores da área em 41,74%. A pressão das outras categorias, no entanto, fez com que fosse aprovada uma emenda na tramitação do projeto na Assembleia Legislativa que estendesse o apoio para mais de 70% do funcionalismo do estado. [1][2]

Apenas dois deputados votaram contra o reajuste – os deputados do NOVO BartôGuilherme da Cunha. Agora, o projeto irá para sanção do governador, que deve vetar alegando inconstitucionalidade. [3]


PUBLICIDADE



“Não há como deputados apresentarem emendas em projetos do Executivo que tragam gastos, além do impacto financeiro que ela traria de mais de R$ 20 bilhões pelos próximos três anos. Já deixo aqui, de antemão, a certeza de que o governo vetará esta emenda”, explicou ao jornal Estado de Minas o líder do governo na Assembleia, o deputado Gustavo Valadares (PSDB/MG).

Crítica liberal

O empresário Roberto Rachewsky, colunista do Instituto Liberal e que integra as fileiras do NOVO no Rio Grande do Sul, criticou nas redes sociais o movimento de Zema de propor um primeiro aumento – especialmente em decorrência da delicada situação financeira de Minas Gerais.

“Em Minas Gerais, não devem conhecer aquele ditado ‘quando se oferece a mão, querem o braço’. Zema tem que comer muito tutu com feijão para sonhar em ser um dia uma Margaret Thatcher. Quis aumentar os policiais com medo de greve e levou uma bola nas costas da Assembléia que resolveu estender o pacote de bondades a todo funcionalismo estatal. O governo quebrado e os políticos fazendo um trenzinho da alegria para todos os privilegiados”, criticou. [4]

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.