fbpx
PUBLICIDADE

Arrecadação de sindicatos cai 96% em apenas 2 anos, aponta levantamento

Reforma trabalhista do governo Michel Temer, de 2017, removeu a contribuição sindical obrigatória, também conhecida como "imposto sindical"; medida representou queda de faturamento para sindicatos e centrais
(Foto: Reprodução / Folha)
(Foto: Reprodução / Folha)
PUBLICIDADE

Um levantamento feito pelo site Poder360 aponta que as entidades sindicais tiveram forte queda no faturamento desde que entrou em vigor a reforma trabalhista que extinguiu a contribuição sindical obrigatória, no final de 2017. [1]

PUBLICIDADE

Segundo o site, o valor arrecadado pelas organizações foi de R$ 3,6 bilhões, em 2017, para R$ 500 milhões em 2018 e apenas R$ 128,3 milhões em 2019. A queda total média é de 96,4%, incluindo tanto sindicatos, como federações, confederações e centrais sindicais.

Principal central sindical do país, a CUT, por exemplo, que arrecadou R$ 62,2 milhões em 2017 em todo o país, obteve receita de apenas R$ 442 mil em 2019. Efeito similar também ocorreu com as entidades patronais – que também eram beneficiadas pela contribuição obrigatória, só que advindas de empresas.

PUBLICIDADE

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

Podcast

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?