fbpx
PUBLICIDADE


Bolsonaro diz que vetar fundo eleitoral seria ‘atrapalhar a democracia’

O presidente reagiu aos críticos de sua decisão, dizendo que a lei o obrigava a agir dessa forma e que os detratores pertencem a uma “falsa direita”

- Publicado no dia
Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente Jair Bolsonaro sancionou neste sábado (18) o orçamento de 2020, mantendo na lei a previsão de R$2 bilhões para o fundo eleitoral, conforme havia sinalizado anteriormente. Ele alegou a apoiadores, no mesmo dia, que, se fizesse o contrário, “estaria atrapalhando a democracia”. [1]

“Com R$ 3,8 bi eu ia vetar, interesse público. Eu tinha argumento para isso. Mas como veio com R$ 2 bi, a proposta é do Tribunal Superior Eleitoral, não é minha”, argumentou o presidente da República. Bolsonaro alegou também que nem sempre sanciona ou veta projetos de acordo com sua própria vontade: “Nós temos que agir com inteligência, de vez em quando recuar. (…) O Brasil não é meu, tem seus poderes”, sustentou.


PUBLICIDADE



As declarações foram feitas durante um evento de coleta de assinaturas para a criação do novo partido de Bolsonaro, o Aliança Pelo Brasil. O presidente não se limitou a se explicar – ele também atacou os críticos de sua decisão. Para ele, os deputados e senadores do partido por que se elegeu, o PSL, estão falando “abobrinha” ao contestar sua escolha e representam uma “falsa direita”. [2]

“A esquerda bater tudo bem. A falsa direita e os isentões já caem de pau. ‘Ele deveria vetar esse fundão’. Eu tenho de cumprir a lei”, esbravejou. Um dos que atacaram a decisão do presidente foi o deputado Vinicius Poit (NOVO-SP): “Quem perde são os 100 milhões de brasileiros sem esgoto e crianças sem acesso a educação. E não venham com mimimi. Votei nele no segundo turno. Votei nele esperando algo diferente. Não votei nele pra aprovar esse absurdo”.

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.