fbpx
PUBLICIDADE

Arthur do Val ataca ministro da Educação por erros de português: ‘vergonha alheia’

Deputado estadual de São Paulo apontou sucessão de erros de ortografia cometidos pelo ministro como provas de sua insuficiência para o cargo
(Foto: Reprodução/YouTube)
(Foto: Reprodução/YouTube)

Postulante à prefeitura de São Paulo e dono do canal Mamãe Falei, o deputado estadual Arthur do Val, ligado ao Movimento Brasil Livre e atualmente sem partido, se manifestou nesta quinta-feira (20) com um ataque duro ao ministro da Educação. Ele disse que Abraham Weintraub lhe “dá vergonha alheia”.

O ministro está sendo alvo de ataques de analistas e comentaristas por ter cometido erros de ortografia em algumas de suas publicações. A mais recente foi uma mensagem enviada pelo Twitter ao deputado Eduardo Bolsonaro, em que Weintraub escreveu o termo “impressionante” com C. O texto era uma resposta a uma afirmação do parlamentar de que o Brasil jamais teve uma pesquisa feita por órgão oficial sobre o uso defensivo de armas de fogo.

Em resposta, o ministro escreveu: “Mais imprecionante: Não havia a área de pesquisa em Segurança Pública. Agora, pesquisadores em mestrados, doutorados e pós-doutorados poderão receber bolsas para pesquisar temas, como o mencionado por ti, que geram redução de criminalidade”. Não foi a primeira vez em que cometeu um erro desse gênero: Weintraub já escreveu “suspenção” e “paralização” em um documento enviado ao ministério da Economia.

Arthur do Val usou seu Twitter para ironizá-lo: “Uma coisa é um errinho de digitação. Agora: escrever ‘antessessores’, ‘paralização’, ‘imprecionante’, errar porcentagem, citar Franz ‘Kafta’, é demais para um ministro da Educação! Abraham Weintraub me dá vergonha alheia”. Confira:





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Siga o Boletim

Leia também

Coluna Panorama

Coluna de notas do mundo político, econômico e cultural, exclusiva para assinantes do Boletim da Liberdade e atualizada todas as segundas-feiras pela manhã