fbpx
PUBLICIDADE

Brasil 200 parabeniza Bolsonaro por possível novo imposto sobre transações

Entidade liderada pela família do empresário Flávio Rocha é uma das poucas, senão a única, organização que defende abertamente a criação de um novo imposto sobre movimentações financeiras no Brasil
Lançamento da Frente Parlamentar Brasil 200 na Câmara (Foto: Reprodução/Facebook)

Lançamento da Frente Parlamentar Brasil 200 na Câmara (Foto: Reprodução/Facebook)

Movimento Brasil 200, atualmente formalizado como instituto, surpreendeu os seguidores e parabenizou nesta quarta-feira (19) o presidente Bolsonaro por, segundo a entidade, “admitir criar” um novo imposto no Brasil baseado em “movimentações financeiras para substituir outros impostos”.

Como se sabe, a organização apoia – e é uma das poucas vozes na sociedade civil a fazer isso – a criação de um imposto similar à antiga CPMF.

O novo tributo, que já foi chamado pela entidade como imposto único, e-tax ou microimposto, poderia – segundo o cálculo do instituto – desonerar diversas áreas da economia e manter o mesmo nível de arrecadação para o Estado apenas cobrando pequenas taxas sobre movimentações financeiras.





O Brasil 200 é liderado pela família do empresário Flávio Rocha, que quase candidatou-se à presidência em 2018 com o apoio do MBL. Já independente, a organização começou uma articulação no Congresso Nacional com a liderança da deputada federal Joice Hasselmann (PSL/SP).

Debate volta à tona

Embora uma nova CPMF já esteja descartada pelo novo governo por determinação do presidente Bolsonaro, um novo imposto sobre movimentação financeira voltou a ser assunto nesta quarta-feira (19)

Em coletiva de imprensa em Brasília, Guedes afirmou que o governo cogita incluir uma modalidade sobre “transações financeiras em meios digitais”, citando como exemplo a transferência de dinheiro por celular. O ministro afirmou ainda que “é preciso algum imposto” nessa área.





A estratégia do ministro é obter novas receitas para reduzir ou extinguir impostos na folha de pagamento, que o ministério considera que atrapalha o desenvolvimento da economia.

Foto: Reprodução/Facebook




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama