fbpx
PUBLICIDADE

Ex-PGR, Janot abre o jogo sobre Lula, Dilma, Temer, Collor, Cunha e Bolsonaro

Ex-procurador-geral da República afirmou não ter dúvidas de que Lula, Temer e Collor são corruptos, afirmou que Cunha poderia ter sido eleito presidente da República com a força que tinha e disse que Dilma não roubou
Com visual diferente, Rodrigo Janot decidiu abrir o jogo sobre o que passou como Procurador-Geral da República (Foto: Cristiano Mariz)
Com visual diferente, Rodrigo Janot decidiu abrir o jogo sobre o que passou como Procurador-Geral da República (Foto: Cristiano Mariz)

O ex-procurador geral da República Rodrigo Janot voltou aos holofotes nesta quinta-feira (26) após revelar que chegou a cogitar assassinar o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, após o magistrado ter sugerido irregularidades sobre a atuação de sua filha. Em entrevista à revista Veja, o ex-chefe do Ministério Público Federal compartilhou ainda opiniões sobre alguns dos principais personagens políticos do país com base na sua experiência de ter ter atuado no auge da Operação Lava-Jato. [1]

Lula

“É impossível que o Lula não fosse um dos chefes de todo esse esquema. Não tenho dúvida de que ele é corrupto.”





Dilma

“Não tenho nenhuma dúvida de que a Dilma não é corrupta. Mas ela tentou atrapalhar as investigações com a história de nomear o Lula como ministro da Casa Civil. A obstrução de Justiça aconteceu, tanto que eu a denunciei. Até agora não surgiu nenhuma prova que envolva a ex-presidente com corrupção.”

Michel Temer

“Temer, sim, é corrupto. Corrupto filmado, fotografado e gravado. No caso da JBS, teve até malinha correndo em São Paulo por ação controlada autorizada pelo Judiciário. Não tem como esconder que aquilo existiu.”





Fernando Collor

“A participação dele no esquema da Lava-Jato deixou muitas impressões digitais. Ele é um corrupto com certeza.”

Eduardo Cunha

“Se não fosse a Operação Lava-­Jato, talvez Eduardo Cunha fosse hoje presidente da República. Faço uma constatação de que o então presidente da Câmara, com a força extraordinária que tinha, com uma base de 150 a 170 deputados e com um sistema abastecendo-o de dinheiro de corrupção, teria grandes chances de ser eleito presidente.”





Jair Bolsonaro

“Eu não faço a avaliação de quem seria o melhor e de quem seria o pior, mas o Bolsonaro é um produto da queda do próprio Cunha.”





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama